A família do bebê que desapareceu dentro do Hospital Pasteur (RJ) continua sem saber onde foi parar o corpo do recém-nascido. O pai de Kevin continua em busca do corpo do filho para que possa fazer um enterro digno ao pequeno que foi tão desejado e amado, mas que infelizmente veio ao mundo já sem vida no domingo (5). Quando Wanderson Nunes chegou no hospital na manhã de terça-feira (7), acompanhado pelo responsável pelo serviço funerário ele foi informado, depois de horas de espera, que o corpo do seu filho havia desaparecido e que provavelmente ele teria sido jogado no lixo.

Venderam ou mataram meu filho

De acordo com o portal de notícias online do jornal 'Extra', a família continua em busca de informações sobre a morte e desaparecimento do corpo. O pai de Kevin acredita que o corpo do filho foi vendido para estudo em alguma escola de medicina e que na pior das hipóteses seu bebê tenha morrido devido a algum tipo de erro médico e sumiram com o corpo para que nada fosse descoberto.

Não nos deixaram ver nosso filho

Em meio a tristeza e o desespero, Wanderson lembrou de algumas coisas que aconteceram um dia antes de saber do desaparecimento do filho. Ele contou que na segunda-feira (6) sua esposa pediu a médica que a deixasse ver o bebê para que ela pudesse se despedir de Kevin. O pedido foi negado e segundo Nunes a médica alegou que isso não faria bem para a mãe e que naquele momento de dor ele concordou.

Porém, agora ele acha que algo já tinha acontecido. Segundo ele, já na segunda-feira o corpo do bebê não estava mais no hospital, reforçando sua suspeita de que ele foi vendido.

Diante do mistério envolvendo o desaparecimento do cadáver do menino, o pai do recém-nascido começou a cogitar a hipótese que seu filho tenha sido vítima de erro médico porque segundo quando deixou o hospital no domingo, Kevin estava vivo, "quando voltei, o coração dele não batia mais e ninguém sabe explicar nada", afirmou Wanderson.

Investigação policial

A Polícia Civil investiga o caso e na manhã desta quinta-feira (9) deve ouvir três pessoas para tentar desvendar o desaparecimento do corpo de Kevin. Serão ouvidas a mãe do bebê e os funcionários do hospital. Entre eles: a diretora, uma coordenadora médica e um maqueiro. De acordo com as informações da polícia, o maqueiro foi o responsável de levar o corpo do bebê para o necrotério do hospital.

A informação foi dado pelo delegado responsável pelo caso, Carlos Cesar dos Santos, da 26ª DP (Todos os Santos).

Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!