Nos últimos dias, as redes sociais passaram a ser inundadas com assuntos referentes à vereadora assassinada Marielle Franco (PSOL). Marielle foi morta com diversos tiros na cidade do Rio de Janeiro. O crime chocou o Brasil e teve grande repercussão mundial. Sendo um dos assuntos mais comentados dos últimos dias, muitas notícias passaram a circular nas redes sociais, uma delas afirma que a vereadora teria engravidado aos 16 anos e teria sido casada com o traficante Marcinho VP. A notícia ainda dizia que a vereadora teria sido eleita pelo próprio Comando Vermelho, porém, essa e muitas outras notícias que se espalharam não passam de mentiras.

A vereadora foi assassinada ainda dentro de seu carro na Rua Joaquim Palhares, no Estácio. Segundo a polícia, a ocorrência foi registrada por volta das 21h30 da última quarta-feira (14). Além da vereadora, o motorista Anderson Gomes também acabou sendo atingido pelos disparos e morreu no local. Outra passageira do veiculo era a assessora de Marielle, porém foi atingida apenas por estilhaços e teve apenas ferimentos leves.

A polícia tem investigado o caso, porém a principal suspeita é que o crime se trata de uma execução.

Fake News se espalha na web e anuncia que vereadora morta no Rio era ex-mulher do traficante Marcinho VP

Além de tal afirmativa, a notícia ainda dizia que a vereadora era uma usuária de maconha e lutava pela defesa de facções, sendo eleita através do apoio do próprio Comando Vermelho.

Ganhadora de milhares de compartilhamentos, a falsa notícia acabou gerando grande polêmica entre os internautas que passaram a fazer fortes julgamentos contra a parlamentar. O assunto rendeu ainda mais visualizações após ser compartilhado na página oficial do deputado federal Alberto Fraga (DEM), que precisou apagar a mesma após perceber quer tudo se tratava de uma notícia falsa.

O deputado chegou a conceder uma entrevista para o ‘Fantástico’, da Rede Globo. Na entrevista, ele confessa que errou ao ter compartilhado a manchete sem ao menos consultar a veracidade. Vale ressaltar que, além do deputado, a desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Marília Castro Neves, também comentou a respeito do ocorrido, afirmando também em sua rede social que a vereadora de fato teria tido envolvimento com bandidos e foi eleita pelo Comando Vermelho.

Além da notícia, uma fotografia que supostamente seria da vereadora sentada ao colo do traficante também foi compartilhada. Tal imagem foi tida como uma verdadeira prova de que ela teria tido contato com Marcinho VP.

A farsa sobre a vereadora morta no Rio de Janeiro

Tudo não passou de mentiras. Marielle não engravidou aos 16 anos, nem mesmo teve relacionamento com o traficante. Ela até esteve grávida, porém, sua filha Luyara Santos, é fruto de seu relacionamento com Glauco dos Santos, o último homem com quem ela se relacionou antes de assumir a homossexualidade.

Não perca a nossa página no Facebook!