Considerado um dos maiores líderes espíritas e religiosos dos últimos tempos, João de Deus, de 76 anos de idade, se tornou notícia no Brasil e no mundo após ser acusado de abusar de uma série de mulheres durante suas consultas e procedimentos cirúrgicos espirituais.

Preso no Núcleo de Custódia do Complexo Penitenciário de Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital (GO), João de Deus deixou o local na tarde desta última quarta-feira (02) após sofrer um sangramento.

João de Deus é submetido a exames após constatação de sangramento

Detido e sob os olhares atentos dos agentes penitenciários, João de Deus foi diagnosticado com uma infecção urinária e precisou ser levado ao hospital após a verificação de um sangramento na urina.

Após ser encaminhado para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), do Parque Flamboyant, em Aparecida de Goiânia, o médium precisou ser transferido para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), para ser submetido a uma avaliação minuciosa por parte da equipe multidisciplinar do hospital e lá foi submetido a exames laboratoriais e de imagem.

Após passar por exames clínicos, João de Deus é levado de volta para cadeia

Após ser submetido a diversos exames, o médium João de Deus foi liberado pelos médicos para voltar à penitenciária. Como os resultados não demandaram a necessidade de internação, o detendo voltou para a cadeia na madrugada desta quinta-feira (03).

Em nota emitida pela DGAP (Diretoria-Geral de Administração Penitenciária) à TV Anhanguera, foi informado que os resultados dos exames diagnosticaram o médium com uma infecção urinária leve.

De acordo com informações passadas por uma servidora do Núcleo de Custódia, onde João de Deus encontra-se detido, o líder espírita dormiu tranquilamente após retornar do hospital.

Denúncia contra médium será analisada a partir do 7 de janeiro

Ostentando uma grande popularidade, as acusações contra o médium espírita seguem dividindo opiniões e tem como principal base os depoimentos e relatos de mulheres que afirmam serem vítimas dos abusos de João.

Denunciado pelo Ministério Público de Goiás (MPGO) sob a acusação dos crimes de violação sexual mediante a fraude e estupro de vulnerável. O processo foi aberto no último dia 28 de dezembro de 2018.

A denúncia contra o médium João de Deus será analisada pelo Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) a partir do próximo dia 7.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!