O massacre em Suzano deixou 10 vítimas, incluindo os próprios atiradores. Rhyllary Barbosa tem apenas 15 anos e sobreviveu ao ataque que matou 5 alunos, dois funcionários da escola Estadual Professor Raul Brasil em Suzano e o tio de um dos assassinos. A garota se envolveu em uma luta corporal com o atirador Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e levou a melhor. Ela conseguiu escapar viva e ainda foi capaz de abrir a porta de entrada da escola para outros estudantes escaparem com vida.

Em entrevista ao G1, a garota disse que se considera "uma pessoa guerreira e uma verdadeira sobrevivente".

Publicidade

Rhyllary afirma que, ao lembrar do episódio, ela se emociona e ao mesmo tempo se entristece por causa das famílias dos amigos que faleceram durante o ataque.

A garota ainda diz que uma felicidade muito grande grita em seu coração, pois poderia ter sido muito pior. A jovem acredita que Deus a teria colocado lá para que pudesse evitar uma tragédia ainda maior. Barbosa demonstra gratidão e sente-se como se tivesse ganhado mais uma nova oportunidade de ‘viver’.

Marilene Barbosa de Oliveira, de 45 anos também concedeu entrevista ao G1 e disse que se sente muito orgulhosa pela filha que tem.

A mãe afirma que sua filha não pensou apenas em si mesma e teve uma atitude que ajudou com que outros colegas pudessem fugir com vida do local. Marilene também lamenta a perda das famílias que tiveram pessoas vitimadas nessa grande tragédia. A mãe ainda diz que acredita que o amor que essas famílias proporcionaram aos filhos em vida, resultarão em um efeito positivo e que a lembrança deles durará para sempre.

Rhyllary descreve os momentos de violência

Ainda em entrevista ao G1, a jovem de 15 anos contou que foi tudo muito desesperador.

Publicidade

Ela se viu tomada por aflição e medo, porém foi obrigada a pensar e agir rápido demais para conseguir escapar.

A jovem, que é praticante de Jiu-jitsu, disse que no momento do ataque ela estava acompanhada por uma amiga e também com a inspetora Eliana Regina. No momento em que o atirador Luiz chegou, a menina estava entre a cantina e a diretoria. Ela tinha acabado de se alimentar, quando foi surpreendida pelo primeiro disparo.

A jovem foi tomada pelo medo, e não tinha ideia de que havia um segundo assassino, porém, a intuição dela fez com que ela abrisse a porta da escola para ajudar outros alunos a saírem do local.

Ela decidiu enfrentar o atirador sozinha quando ‘trombou’ com ele. Os dois entraram em confronto e o assassino tentou dar uma rasteira na jovem, porém ela sabia que algo assim poderia acontecer e deixou o calcanhar firmado, e o atirador não conseguiu derrubá-la. Foi então que ela precisou chacoalhar os braços para que o rapaz a soltasse. Rhyllary foi agredida e o rapaz a segurou pelo cabelo.

O atirador parou a agressão e começou a perseguir os outros alunos que estavam fugindo da escola. A correria dos alunos fez com que os atiradores se assustassem e felizmente, ela conseguiu sobreviver e escapar do massacre.

Publicidade

Jiu-jítsu

Rhyllary fez uso de tudo o que seu professor de jiu-jítsu lhe ensinou. Ela é adepta dessa arte marcial, e isso foi essencial para que ela conseguisse se safar nessa situação.