Douglas Felix e sua esposa estariam presentes no ônibus que se envolveu em um grave acidente. Os dois tomaram um grande susto quando se depararam com o noticiário informando que o ônibus de turismo no qual eles iriam fazer excursão tombou na volta da Viagem. O casal desistiu da viagem em cima da hora.

Em entrevista ao portal G1, Douglas revelou que entrou em contato com a organizadora da viagem no dia 3 deste mesmo mês. O rapaz afirmou que ele e a esposa pensaram em ir, porém, o horário do retorno não era compatível com o horário de trabalho dele, e, por esse motivo, precisaram desistir. Ele conta que sua esposa chegou a ficar chateada com a decisão.

"A minha esposa queria muito ir, mas a previsão de chegada na Baixada Santista era muito tarde. Sou porteiro, e entro no trabalho às 5h e, por isso, desisti. Ela ficou até brava por eu não querer ir, mas Deus sabe o que faz", explica.

Acidente envolvendo ônibus de turismo que tombou na rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro (SP-123), no KM-31, em Pindamonhangaba, causou o engavetamento da rodovia neste domingo (9).

A estrada ficou totalmente fechada desde o momento do acidente, e foi liberada por volta das 6h da manhã desta segunda-feira (10).

O veículo voltava de Campos do Jordão em direção a Cubatão, no litoral de São Paulo. As causas do acidente ainda serão apuradas e não têm prazo de divulgação. Entretanto, um dos passageiros do ônibus disse que o veículo parecia estar desgovernado.

Dentre os 10 mortos [VIDEO], estão cinco mulheres, três homens e duas crianças, além de 51 pessoas que ficaram feridas no total.

Um homem e a filha, que estavam em um dos carros atingidos, estão entre as vítimas fatais. As demais estavam dentro do coletivo. Yago Mange, de 25 anos, foi o primeiro falecido no acidente a ser reconhecido por parentes no Instituto Médico Legal (IML).

Dentre as 51 vítimas documentadas, 27 foram atendidas em hospitais da região e receberam alta médica na manhã de segunda-feira.

Inicialmente, havia sido divulgado um número maior de mortos entre as vítimas do acidente, porém, as autoridades do corpo de bombeiros, corrigiram o erro e confirmaram o número correto de fatalidades.

Também de acordo com o corpo de bombeiros, aproximadamente dezessete viaturas foram direcionadas ao local para socorrer as vítimas do acidente.

A ocorrência foi registrada às 21h38 do domingo. Dos 51 feridos, 26 foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), oito por ambulâncias municipais e sete pelo próprio Corpo de Bombeiros.

Alguns dos hospitais que ofereceram atendimento às vítimas foram o Hospital Regional de Taubaté, a Santa Casa de Pindamonhangaba e o pronto-socorro de Campos do Jordão. Uma das vítimas, que não estava no ônibus, mas teve seu carro atingido pelo veículo, disse que viu o coletivo descendo a serra completamente desgovernado.

João Doria, governador do estado de São Paulo, expressou empatia quanto às vítimas do acidente e afirmou estar “orando pela recuperação dos feridos”.

Testemunhas falam sobre acidente

Testemunhas ouvidas no local do acidente informaram que o coletivo, aparentemente sem freio, teria atingido outros veículos, entre eles, cinco carros e uma moto.

A empresa responsável pelo ônibus é a Brasil Santana, de Praia Grande, que ainda não se manifestou sobre o acidente.

Se a falta de funcionamentos dos freios do coletivo for comprovada como sendo um problema anterior ao acidente, a empresa pode ser penalizada, tendo em vista que a manutenção dos veículos privados é uma obrigação das entidades às quais eles pertencem.

Alguns passageiros afirmaram que o motorista do veículo estava acima do limite de velocidade da rodovia, o que teria sido causado pelo problema nos freios do coletivo. De acordo com uma das passageiras, a viagem estava ocorrendo normalmente, até que o veículo começou a acelerar de forma descontrolada.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Viagem
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!