A tragédia de Brumadinho [VIDEO], que aconteceu há mais de cinco meses, após o rompimento de uma barragem, causou 246 mortes e deixou 24 pessoas desaparecidas. Na noite da última quarta-feira (3), o Corpo de Bombeiros, que ainda segue fazendo buscas na região, encontrou uma nova vítima, conforme a corporação informou à imprensa.

Homem estava entre os desaparecidos

No último 25 de junho completou cinco meses da tragédia e a equipe do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais continua fazendo buscas por corpos de vítimas em Brumadinho.

Após centenas de mortes, mais um homem acaba entrando para a estatística das pessoas atingidas pela lama que se formou no local após rompimento da barragem em janeiro de 2019.

De acordo com a corporação, não há a identificação exata de quem seja a vítima, mas trata-se de um corpo do sexo masculino. Ainda segundo a equipe de resgate, o homem teria sido localizado na área denominada Remanso 1 e trazia junto consigo um documento de identidade, que acaba conferindo com um nome presente na lista dos desaparecidos.

“Ele estava praticamente intacto", descreveu o corpo de bombeiros, que também informou que o corpo foi encaminhado ao IML. Por volta das 22h de ontem (3), o Instituto Médico Legal de Belo Horizonte confirmou a chegada do corpo e informou que já havia sido iniciado o processo de identificação.

Com a confirmação de mais uma morte, sobe para 247 o número de vítimas fatais confirmadas na tragédia em Brumadinho.

Outro corpo localizado praticamente intacto

No mês passado, bombeiros que seguiam com as buscas em Brumadinho informaram à imprensa que um novo corpo havia sido localizado em meio à lama, meses após a tragédia em Minas Gerais.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Polícia

Na época, o tenente da corporação, Pedro Aihara, conversou com a imprensa e falou das prováveis causas que teriam mantido o corpo em tal estado.

O tenente disse que o rejeito de minério de ferro, que foi exposto com o rompimento da barragem e causou uma maré de lama, acabaria agindo como uma espécie de barreira, protegendo o corpo da decomposição. Segundo ele, o material que seria puramente mineral, acabaria evitando a atividade orgânica natural do corpo após a morte.

Mesmo com alguns casos de corpos localizados praticamente intactos no local da tragédia, é praticamente impossível achar a maioria das vítimas em tal estado devido ao tempo em que o rompimento da barragem teria acontecido e vitimado pessoas que estavam no local.

Na maioria das vezes, os corpos são encontrados em estado avançado de decomposição, o que acaba dificultando o trabalho da equipe do IML, que acabam recorrendo a exames de DNA para que a identidade das vítimas possa ser descoberta.

Mesmo após 5 meses de buscas, a equipe do corpo de bombeiros segue com o trabalho incessante à procura de novas vítimas. Ainda não há previsão de quando as buscas serão encerradas em Brumadinho.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo