Um recém-nascido foi sequestrado logo após o parto em uma Maternidade pública no Distrito Federal. De acordo com informações da família do bebê, o menino foi levado para realizar exames por uma funcionária do Hospital Regional de Taguatinga (HRT). Contudo, depois disso o bebê foi dado como desaparecido pela família na madrugada desta quinta-feira (28). Após o sumiço do bebê, a família se deslocou para a 12ª Delegacia de Polícia do município de Taguatinga para registrar o caso. Agora, a Divisão de Repressão a Sequestros está responsável pelas investigações.

Familiares do menino contam que, por volta das 3h, uma mulher de jaleco foi ao quarto e disse que tinha que levar o menino para realizar exames. Contudo, a mulher não devolveu mais o recém-nascido para a mãe. “Mas a minha irmã ficou incomodada com a demora”, disse.

Depois do desaparecimento, a Secretaria de Saúde publicou uma nota oficial do caso. De acordo com o comunicado, foi a mãe do recém-nascido, que ganhou o nome de Miguel Pietro, Larissa de Almeida Ribeiro, de 21 anos, que comunicou a enfermaria do hospital sobre o desaparecimento do filho.

Depois disso, o próprio hospital levou a paciente até a delegacia para registrar o BO (Boletim de Ocorrência). “O HRT está colaborando com a polícia”, disse o comunicado.

A nota oficial também ressalta que Miguel Pietro nasceu na manhã da última quarta-feira (27) e estava desde então no 3º andar da unidade hospitalar, onde, segundo eles, há seguranças. A secretaria ainda diz que o Hospital Regional conta com ao menos 15 seguranças e um supervisor, e que depois de ter ciência do desaparecimento foram feitas varreduras dentro e fora da unidade hospitalar.

Bebê é encontrado e suspeita presa

De acordo com o jornal Metrópoles, cerca de seis horas após o desaparecimento, Miguel foi encontrado. O recém-nascido foi localizado no Hospital Regional de Ceilândia (HRC), município localizado a cerca de 6 km de Taguatinga, onde o bebê foi sequestrado. Segundo o jornal, uma mulher foi pedir ajuda a um Corpo de Bombeiros Militar dizendo que havia dado à luz em casa.

Entretanto, chegando ao hospital, profissionais desconfiaram da versão contada pela suspeita.

Desta forma, a equipe policial investigou o caso junto com a unidade hospitalar e assim desconfiaram que poderia se tratar do menino que havia sido sequestrado horas antes do HRT. Assim que familiares chegaram ao HTC contataram que a criança se tratava mesmo de Miguel Pietro. A suspeita foi então detida pelos policiais por subtração de incapaz.

Para o Metrópoles, Francisca de Almeida Ribeiro, de 55 anos, avó do recém-nascido, confirmou que o neto foi encontrado. Pouco tempo depois, a tia do menino também fez questão de compartilhar uma imagem do sobrinho para comunicar o encontro.

“Deus é fiel”, escreveu ela na imagem.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Maternidade
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!