Um professor de engenharia de Jundiaí, no interior de São Paulo, decidiu deixar por escrito as instruções de como deveria ser seu velório [VIDEO] quando morresse. José Dias Ferreira Neto faleceu na última quarta-feira (4), em decorrência de uma pancreatite aguda e a família decidiu realizar a cerimônia de acordo com o conteúdo da carta, escrita há cinco anos, época em que ele ainda não estava doente.

O “manual de instruções” escrito pelo professor pedia que em seu velório houvesse músicas da banda Pink Floyd, fosse servido whisky e houvesse celebração à vida.

“A vida é muito curta e efêmera. Devemos aproveitar cada momento”, dizia um trecho da carta escrita pelo professor.

Luis Rodrigo Pantano Dias Ferreira, filho do professor disse que seu pai sempre foi uma pessoa bem humorada e que na época em que redigiu a carta nem estava doente ainda. Luis disse que ao receber a notícia da morte do pai, que havia passado alguns dias internado, se lembrou da carta e decidiu atender ao pedido. “Sei que fazer isso o deixou bem feliz”.

Devido ao estado que os órgãos se encontravam, já por conta de seu debilitado estado de saúde, o único pedido do professor que não pode ser atendido foi o de doar os órgãos.

Conforme pedido, no velório foram servidas duas garrafas de whisky, teve muita Música e foram lidos trechos de sua despida para os presentes. A carta também ficou exposta para as pessoas que quisessem lê-la por completo.

Após o velório o corpo foi cremado em Itatiba, que era outro pedido que constava na carta de instruções.

As instruções

Na carta foram enumeradas cinco instruções que deveriam ser seguidas.

A primeira delas fala exatamente sobre a doação de órgãos. Ele pede a doação de seu material biológico para que possa “melhorar ou prolongar a vida de alguém”.

A segunda instrução pede que sejam tocadas músicas do Pink Floyd, Aerosmith, Mozart, Scorpions e que nos momentos oração e reflexão seja tocada Enya.

A instrução de número três (que na carta saiu como sendo de número quatro), pede que antes do transporte do corpo para a cremação fosse lido para os presentes o texto que está destacado no final da carta e que todos cantassem “Canção da América”, de Milton Nascimento, e que as pessoas prestassem atenção na letra da canção.

Na quarta instrução ele pede para que no momento do que chamou de “churrasqueamento”, o que seria a cremação, fossem apresentadas as músicas “Confortably Numb” e “Wish You Were Here”, ambas do Pink Floyd. Ele pediu ainda que durante a execução das mesmas, mas pessoas tivessem em mãos a tradução, a qual ele deixou em anexo.

A última instrução pede que na cremação estejam apenas pessoas da família e amigos mais próximos e que suas cinzas sejam entregues para a Dr. Cássia, que as lançará ao vento “para que voltem à terra que as deu”.

Siga a página Música
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!