O senador licenciado Cid Gomes (PDT), de 56 anos, irmão do candidato derrotado à presidência e ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, levou dois tiros na tarde desta quarta-feira (19), durante protestos de policiais militares, em Sobral, no Ceará. A cidade é governada pelo irmão deles, Ivo.

Ele inicialmente foi levado para o Hospital do Coração de Sobral e posteriormente transferido para a Santa Casa de Misericórdia de Sobral, onde está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sem previsão de alta. A instituição emitiu um boletim médico onde informou que o estado de saúde do político é estável e ele não corre o risco de perder da vida.

O texto diz ainda que ele está “lúcido e respirando sem auxílio de aparelhos” e tem “boa evolução clínica”.

O boletim médico informou ainda que os dois projéteis atingiram a clavícula do senador. Um deles saiu e outro bateu em um dos ossos e se alojou no pulmão. Esse projétil já foi retirado pela equipe médica. Ainda de acordo com o boletim médico, não houve nenhum danos aos órgãos do senador.

Primeiramente a assessoria de imprensa de Cid Gomes havia dito que ele tinha sido atingido por uma bala de borracha. Posteriormente a informação foi retificada e foi dito que ele foi alvejado por tiros com balas de verdade.

Cid Gomes tentava furar bloqueio

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram o senador Cid Gomes em cima de uma retroescavadeira tentando furar um bloqueio feito por policiais militares em frente do Batalhão da Polícia Militar e disparos são ouvidos.

Em outras imagens, também compartilhadas em rede social, o senador aparece consciente e com a roupa manchada de sangue.

Mais cedo, também pelas redes sociais, ele havia informado que estava em Fortaleza e que a tarde iria para Sobral. Ele disse ainda que quem deveria garantir a segurança para o povo (no caso os policiais) está “está promovendo a insegurança, promovendo a desordem”.

Policiais pedem reajuste salarial

Nos últimos dias policiais militares e bombeiros do Ceará têm realizado manifestações pedindo aumento salarial superior ao que foi proposto pelo governo. No último dia 13 o governo elevou a proposta salarial, mas um grupo dissidente não se mostrou satisfeito.

O Ministério Público do Ceará recomendou ao Comando da Polícia Militar do estado que impedissem manifestações dos agentes, decisão que foi mantida pela Justiça.

Na terça-feira (18), três PMs foram presos em Fortaleza após terem cercado uma viatura e esvaziado os pneus.

Já nesta quarta-feira (19), grupos encapuzados atacaram batalhões da Polícia Militar do Ceará. Eles furam pneus de viaturas policiais e carros particulares. No Batalhão de Fortaleza, dez carros foram levados pelos invasores. Em Sobral, cidade onde Cid Gomes foi baleado, encapuzados em carros da PM obrigaram os comerciantes do centro a baixarem as portas.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!