Após voltar atrás na decisão de fechar as principais vias da cidade, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), anunciou nesta quinta-feira (7) medidas para restringir a circulação de pessoas na capital. Uma delas diz que a partir da próxima segunda-feira (11), haverá um rodízio mais amplo de veículos.

De acordo com medida, que valerá para toda a cidade, e não apenas para o centro expandido, como e o rodízio convencional, carros com placas final ímpar poderão circular apenas nos dias ímpares, enquanto que os de placa final par, obviamente nos dias pares.

A medida valerá 24 horas por dia e também aos finais de semana.

Como maio vai até dia 31, não foi divulgado como esse rodízio funcionará a partir de 1º de junho, uma vez quer os carros com placas final ímpar poderiam rodar por dois dias consecutivos.

“Momentos extremos exigem medidas extremas”, afirmou o chefe do executivo da capital paulista. Covas disse ainda que a medida foi necessária para evitar que se fosse adotado o lockdown na cidade. A taxa de isolamento continua em queda na capital e era de apenas 48%, de acordo com o último dado divulgado.

Com muito menos carros circulando pelas ruas, a prefeitura anunciou que a frota de ônibus será ampliada. De acordo com Bruno Covas, mil ônibus serão incorporados ao sistema e outros 600 ficarão aguardando em bolsões e poderão ser colocados para circular em caso de necessidade.

Reclamações dos agentes de saúde

Após muita reclamação de profissionais dos serviços essenciais, em razão do aumento do trânsito na cidade, a prefeitura decidiu voltar atrás e não fazer bloqueios nas principais vias de São Paulo.

André Silva, que trabalha como analista de faturamento de um hospital, era um dos que se queixava dos bloqueios.

Falando ao portal G1, ele disse que deveria estar no serviço às 7 horas da manhã, mas às 9 não tinha percorrido nem metade do caminho.

A relação dos profissionais de saúde chegou até o Ministério Público do estado de São Paulo, que com o objetivo de apurar a medida aditada pela gestão municipal abriu um inquérito civil público.

Agora, os bloqueios terão apenas caráter pedagógico, o qual agentes de saúde exibirão mensagens aos motoristas sobre medidas para prevenir a disseminação do novo coronavírus. Esses bloqueios funcionarão entre as 7 e 9 horas da manhã.

Casos de coronavírus na capital

Somente na capital paulista, o número de mortos até esta quarta-feira (6), por conta da Covid-19 era de 1.910. Já o número de casos positivos era de 23.187.

Até a tarde desta quarta, o estado de São Paulo já contabilizava 3.045 mortes, o que fez com que o governador João Doria (PSDB) decretasse luto oficial. O número de casos confirmados era de 37.853, valor 10% superior ao registrado na terça.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!