Um casal foi preso pela Polícia Civil na última sexta-feira (29), suspeito de ter matado dois homens. O crime aconteceu quinta-feira (27), na cidade de Segredo, no Vale do Taquari, interior do Rio Grande do Sul. Uma das vítimas era pai da mulher detida. Um terceiro suspeito que também teria participado do duplo homicídio está foragido, mas já teve sua prisão preventiva decretada.

De acordo com informações passadas pela Polícia, a agricultora, de 23 anos, confessou ter planejado a morte de seu pai por dois meses e para executar o plano contou com a ajuda de seu namorado, de 25 anos, e que também foi detido, além do terceiro elemento, que teria sido contratado por 5 mil reais para praticar o crime.

Ainda de acordo com seu relato, o trio teria planejado simular um assalto na propriedade de José Darício de Souza, 43 anos, que foi morto a tiros na cabeça junto com Mazonde Rodrigues de Nepomuceno, 64 anos, que era um de seus funcionários e foi assassinado por testemunhar o crime. As vítimas haviam sido amarradas antes de serem executadas.

A suspeita falou para a polícia que era a única beneficiária de um seguro de vida no valor de R$ 500 mil feito pelo pai. A polícia investigará se de fato existe tal apólice de seguro.

As autoridades seguem à procura do terceiro suspeito e não descartam a participação de mais pessoas no crime.

Comportamento da filha levantou suspeita

A delegada Graciela Foresti Chagas, responsável pelas investigações, contou que estranhou o comportamento da jovem na cena do crime.

Segundo ela, a filha da vítima fez questionamentos técnicos, que não condizem com o comportamento de uma pessoa que perde um familiar e isso os fez ficar em alerta. “Ela não demonstrou comoção e apontou coisas que estariam faltando dentro do imóvel”, falou a delegada.

Em um primeiro depoimento, a jovem negou participação no crime, mas três dias depois, após policiais apreenderem indícios na casa onde ela vive com sua mãe, em Sobradinho, ela confessou a autoria do duplo homicídio.

De acordo com a delegada, a frieza como a mulher descreveu os fatos chamou a atenção.

O plano

Em depoimento, a agricultora detalhou ainda que ela e seu namorado, usando o carro de sua mãe, foram até a cidade de Candelária buscar o outro suspeito. Chegando na propriedade, ela teria abraçado seu pai e sentado para conversar.

Nepomuceno, que também morava no local, estava na casa.

Conforme combinado pelo trio, em dado momento o suspeito contratado entra na propriedade e anuncia o assalto. Ele aponta a arma para a mulher e diz que a matará caso alguém reaja. Os dois homens foram amarrados e levados para frente da casa, onde foram executados e seus corpos descobertos apenas no dia seguinte.

Após o crime, a agricultora levou o homem contratado de volta para sua cidade e foi dormir com o namorado na casa de uma irmã dele. Para que a polícia acreditasse se tratar de um latrocínio, alguns objetos da casa foram levados.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!