Leandro Santos Azevedo, de 19 anos, morreu na última terça-feira (30), vítima do novo coronavírus no Hospital de Campanha do Wet’n Wild, em Salvador. A morte do jovem ocorreu dias após ele ter testado positivo para a doença. Dois dias após a morte do jovem, sua família divulgou um áudio gravado por Leandro pouco antes de morrer dentro da unidade hospitalar, no qual, assustado, ele afirma ter ouvido que seria entubado e, em seguida, os médicos desligariam os aparelhos.

De acordo com a família, o áudio, que foi enviado pelo jovem a sua namorada Talyta Fernandes, teria o deixado bastante preocupado, isso porque na mesma conversa ele afirmou que estava se sentindo bem melhor.

Leandro deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no domingo (28), com alguns dos sintomas causados pelo vírus. Diante do caso, os médicos optaram por transferir o jovem para a unidade hospitalar Wet’n Wild um dia após sua entrada.

O áudio

No áudio enviado por Leandro Santos Azevedo, o jovem afirma que os médicos iriam lhe entubar. “Vão desligar o aparelho”, afirmou o paciente, pedindo para que sua namorada fosse ao hospital no dia seguinte. Durante a conversa entre Leandro e Talyta, a jovem pergunta ao namorado como ele está se sentindo e, foi neste momento que o jovem citou sua entubação. Diante da resposta de Leandro, a jovem lhe questiona: “você está entubado?”. Logo, ele responde, também através de um áudio, afirmando que não estava entubado ainda, mas pedindo novamente para que ela fosse vê-lo no dia seguinte.

Namorada de Leandro fala com o G1

Em um bate-papo com o G1, Talyta Fernandes afirmou que o namorado “começou a sentir falta de ar”, por isso, como eles moram perto, eles decidiram leva-lo a UPA. No local, ela conta que Leandro realizou o teste para covid-19, no qual deu positivo. Com o resultado do teste, Leandro foi informado de que precisaria permanecer internado.

Contudo, Talyta lembra que o jovem não ficou por muito tempo na Unidade de Pronto Atendimento, já que no dia seguinte foi transferido para outro hospital.

Segundo Talyta Fernandes, o áudio lhe enviado por Leandro na noite da última segunda-feira (29), um dia antes de sua morte. Durante a conversa, ela conta ter tentado deixar o namorado calmo, afirmando que não aconteceria nada com ele.

Depois disso, ela conta que Leandro começou lhe enviar fotos e falou que iria dormir, mesmo assim, ela lembra ter continuado a enviar mensagens ao jovem.

A jovem relembra que, quando a médica chegou, ela foi informada de que o namorado havia vomitado e, com isso, a sua saturação teria baixado e, por isso, eles fizeram a entubação. “Quando deu parada cardíaca e ele morreu”, afirma a jovem, relembrando que Leandro “era uma pessoa muito incrível”.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!