O cineasta Carlos Eduardo Barcellos Sabino, conhecido como Cadu Barcellos, de 34 anos, foi morto na madrugada desta terça-feira (10), após ter sido esfaqueado durante uma tentativa de assalto. O crime aconteceu por volta das 3h30, na esquina da rua Uruguaiana com a avenida Presidente Vargas, no centro da cidade. Dentre seus vários trabalhos, ele atuou como assistente de direção do canal do YouTube Porta dos Fundos.

De acordo com informações passadas por William Oliveira, amigo do cineasta, Cadu possivelmente foi morto por conta de um telefone celular e uma pequena quantidade de dinheiro. “Foi assassinado possivelmente por conta de um celular, um Riocard e um punhado de reais”, declarou.

O cineasta pegou carona com uma amiga em um carro de aplicativo. Ele havia saído da Pedra do Sal e desembarcou no centro. Ele teria sido rendido perto da entrada do metrô e algumas pessoas o viram gritando por socorro. Ele caiu e morreu no local.

O caso foi encaminhado para a Delegacia de Homicídios e um inquérito foi aberto pela Polícia Civil, que ouvirá testemunhas. A perícia constatou que ele sofreu ferimentos provocados por instrumento cortante na região do tórax.

A família vinha tendo dificuldades de entrar em contato com o cineasta e tomou conhecimento do crime apenas nesta quarta. No início da manhã, o corpo de Cadu ainda se encontrava no Instituto Médico Legal do centro. Ele deixa esposa e um filho de dois anos.

A carreira do cineasta

Dentre os vários trabalhos realizados por Cadu Barcellos em sua carreira está o longa “Cinco vezes favela – Agora por nós mesmos”, produção feita em 2010 do qual foi diretor do episódio “Deixa Voar”. A produção foi escolhida para a Seleção Oficial do Festival de Cannes de 2010 e ganhou prêmios em outros festivais.

Ele também dirigiu o filme “5x Pacificação”.

Ele também atuou no assistente de direção do canal Porta dos Fundos e foi assistente de direção do "Greg News", programa comandado por Gregorio Duvivier na HBO. Também foi roteirista da série "Mais x favela" (2011), do canal por assinatura Multishow.

Duvivier se manifestou por meio de suas redes sociais e disse que perdeu um amigo.

Para ele, sua morte deixará “um buraco do tamanho do mundo”. "Assassinaram um amigo (...) uma das melhores pessoas que eu já conheci na vida", escreveu.

O cineasta também cuidava da página Mare Vive, que retratava a realidade do Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, e conta com mais de 100 mil seguidores. O perfil oficial da página no Twitter também manifestou luto por conta de sua morte: "A Redes da Maré amanhece em LUTO pelo assassinato brutal do jovem e nosso querido amigo".

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!