No mundo há cerca de 36 milhões de pessoas que estão infectadas com o vírus HIV, a AIDS. Parte delas, mais especificamente 1,8 milhões, tratam-se de crianças, que contraíram a doenças de suas mães enquanto ainda estavam em seu ventre.

Essas estatísticas divulgadas pelo ‘AIDS.gov’ são tristes, porém, mostram uma realidade a qual os seres humanos precisam lidar. Mas isso não é nada se comparado a notícia que mais deixa as pessoas de cabelo em pé, que é a que revela que hoje cerca de 1 entre 8 pessoas estão infectadas com esse vírus e ainda nem sabem disso.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Saúde

Revelação essa que leva a diversos órgãos a tentar conscientizar a população de como devemos estar cientes dos sinais que a doença apresenta, para assim tomarmos medidas de segurança.

Ainda não existe no mundo uma cura ou vacina contra o HIV, porém, se a doença for detectada logo de início ela pode ser contida através do tratamento antirretroviral, ou ‘ART’, como é popularmente conhecido. Esse tratamento pode manter a doença sob controle por um bom tempo e pode oferecer ao portador uma vida estável.

A única maneira da pessoa saber se tem AIDS é fazendo os exames específicos. Entretanto, para que as pessoas estejam mais atentas, vamos mostrar aqui alguns dos Sintomas que podem indicar que ela possa estar infectada. Essas informações foram divulgadas pela ‘Aids Foudation de Chicago’, para que as pessoas passassem a se conscientizar mais sobre o assunto. Confira quais são esses sintomas:

Fase inicial

A doença pode estar no organismo de uma pessoa sem apresentar sintoma algum até mesmo por décadas.

Os melhores vídeos do dia

Algo que não é normal de acontecer, por isso, se há alguma possibilidade dela ter contraído a doença, é de extrema importância que ela vá a uma unidade de saúde para fazer o exame que detecta se ela foi infectada.

Porém, se a doença começar a apresentar sinais logo de início, geralmente, nas primeiras semanas, os sintomas que aparecem são os mesmos de uma gripe comum, como febre, dores de cabeça, sudorese, dentre outros. Isso entre a segunda e quarta semana.

Segunda fase

Os sintomas similares aos de um resfriado comum podem durar por muito tempo em uma pessoa com HIV e, depois desse período, a doença pode ficar latente, ou seja, fica um tempo sem apresentar sintoma algum. Essa fase pode durar décadas e por isso é muito difícil a pessoa procurar atendimento ou ficar desconfiada de que está infectada, mas é o momento certo para começar a fazer o tratamento.

Terceira fase

Nesse estágio, a doença já está completamente manifestada e não dá para fazer muita coisa. E se já se passou 2 ou 3 anos após o contágio, a doença já é considerada fatal para o paciente.

Neste momento, a pessoa perde peso de um modo muito rápido e extremo.

Além de emagrecer rapidamente, o ‘soro positivo’ ainda pode apresentar outros sintomas, como: diarreia prolongada, fadiga extrema, pneumonia, herpes, tosse seca, demência, manchas vermelhas ou roxas pelo corpo e sudorese noturna. Sendo que nem todos podem sentir as mesmas coisas.

Como mostramos aqui, o vírus da AIDS deve ser detectado precocemente para que o paciente se submeta ao tratamento, caso contrário, ele pode morrer. A pandemia ainda existe e é preciso que todos tenham em mente de que, se algum dia manteve relações sexuais sem proteção, ou compartilhou agulhas com outra pessoa, é preciso que faça o exame e descubra logo se está livre dessa doença maldita.