Dwayne Johnson, o "The Rock", é um dos maiores astros do cinema na atualidade. Participou de vários filmes da franquia “Velozes e Furiosos” e “SOS Malibu”, tornando-se, segundo a revista Forbes, o segundo ator [VIDEO] mais bem pago de Hollywood - só em 2017 faturou 65 milhões de dólares (215,3 milhões de reais).

Nessa segunda feira (2), ele falou nas redes sociais e em entrevistas sobre a depressão pela qual passou após ver a mãe tentar o suicídio. Johnson contou que, quando tinha 15 anos, a mãe parou, saiu do carro em que estavam e começou a andar em meio à movimentada Rodovia Interestadual 65, de Nashville (EUA), após terem sido despejados do apartamento onde moravam.

Contou que conseguiu tirá-la da rodovia, mas que passou por um grande período de depressão. O ator disse também que uma lesão que destruiu seus planos de carreira no futebol americano e o rompimento com a namorada agravaram a doença.

A depressão é uma doença considerada o mal do século pela Organização Mundial da Saúde. Muita gente, em pleno século 21, ainda não sabe. Por isso, atitudes como a de ‘’The Rock’’, vindo a público para falar de sua experiência, são tão importantes na divulgação dessa doença que tem afetado, silenciosamente, milhões de pessoas em todo o mundo. Leia a declaração do ator no Twitter:

"… Todos nós passamos pelo lodo/me*** e a depressão nunca discrimina. Demorei para perceber, mas o segredo é não ter medo de se abrir. Especialmente nós, homens, temos a tendência de nos fechar.

Vocês não estão sozinhos"

A depressão nunca discrimina e tem sido um grande desafio tanto para médicos quanto para pacientes. Sua característica principal é a perda do interesse e do prazer pela vida, algumas vezes, sem nenhum motivo aparente. Ataca homens, mulheres, independentemente de raça, religião, condição social e idade.

O alerta dado pelo ator aos homens faz sentido. Eles têm o agravante de raramente procurar tratamento para a doença, seja por preconceito ou mesmo por achar que “com o tempo, isso passa”. Na imensa maioria dos casos, não passa. Pelo contrário, a tendência é a depressão aumentar.

Há vários sintomas que ajudam a identificar o problema, dentre eles:

  • Angústia frequente
  • Ansiedade
  • Baixa autoestima
  • Falta de interesse por atividade que davam prazer
  • Dificuldade para se concentrar
  • Cansaço extremo
  • Irritabilidade
  • Pensamentos pessimistas
  • Insônia

E sobretudo, uma tristeza profunda, que se arrasta por dias, semanas e até meses, aparentemente sem nenhuma razão. Ao perceber esses sintomas, não espere, procure ajuda.

Para evitar a depressão, os especialistas aconselham sempre compartilhar as dificuldades do dia a dia, ler, aprender coisas novas e ter um hobby, além de praticar atividade física regularmente. Estudos indicam que essa última incentiva a liberação de hormônios importantes para a manutenção do humor.

E nunca esquecer o alerta de ‘’The Rock’’: Vocês não estão sozinhos”.