Na década de 70, a Rede Globo exibiu a série de TV TARZAN (1966-1968), estrelada pelo ator Ron Ely, no papel principal, e pelo menino Manuel Padilla Jr, que interpretava o órfão Jay, fiel companheiro do "Homem Macaco". A série, inclusive, teve diversos episódios gravados no Brasil (as Cataratas do Iguaçu apareciam na abertura do programa).

Manuel Padilla Jr. nasceu em 13 de julho de 1955, em Los Angeles, Califórnia. Aos oito anos de idade, o menino fez sua estreia como ator, fazendo um papel na série de televisão Sam Benedict, em 1963.

No mesmo ano, fez sua estreia no cinema, atuando no filme A Moeda da Sorte (Dime with a Halo, 1963), da MGM. Manuel interpretava o pequeno Rafael, um dos cinco meninos de rua que roubam uma moeda da caixa da igreja para apostar nas corridas de cavalo.

Em seguida, ele estrelou Brincando de Guerra (The Young and the Brave, 1963), ao lado do ator Rory Calhum.

O ator mirim continuaria atuando com bastante frequência, geralmente interpretando personagens latinos pobres, geralmente órfão ou desamparado. Ele apareceu em filmes como Robin Hood de Chicago (Robin and the 7 Hoods, 1964), Silvia (Sylvia, 1964) e O Pistoleiro de Esporas Negras (Black Spurs, 1965). Na televisão, atuou em séries como O Jovem Dr. Kildare (Dr.

Kildare) e Couro Cru (Rawhide).

Em 1965, Manuel atuou em Caçadores de Feras (Taffy and the Jungle Hunter, 1965), o primeiro "filme das selvas" que ele faria, gênero que posteriormente o consagraria. No ano seguinte, atuaria em Tarzan e o Vale do Ouro (Tarzan and the Valley of Gold, 1966), estrelado por Mike Henry. Com Henry, veio ao Brasil rodar Tarzan e o Grande Rio (Tarzan and the Great River, 1967), que tinha o brasileiro Paulo Gracindo no elenco, entre outros.

A NBC aproveitando-se do sucesso dos filmes e resolveu gravar uma série de televisão com o personagem de Edgar Rice Burroughs, mas o ator Mike Henry se desentendeu com os produtores e foi substituído pelo ator Ron Ely [VIDEO]. Manuel Padilla, que interpretara personagens diferentes em ambos os filmes, acabou contratado para o elenco fixo da série, dessa vez, interpretando o menino Jay, o amigo de Tarzan (a série não tinha a personagem Jane).

Com o fim da série, o menino ingressou no elenco de A Noviça Voadora [VIDEO] (The Fllying Nun, 1967-1970), estrelada por Sally Field. Novamente, ele interpretava um órfão, o menino Marcello, amigo da Irmã Bertrille (papel de Field).

Infelizmente, Manuel Padilla Jr. não fez uma boa transição de ator mirim para a fase adulta. Com a chegada da adolescência, os trabalhos foram diminuindo. Ele fez pequenos papéis em filmes como Um Homem Chamado Cavalo (A Man Called Hors, 1970) e A Grande Esperança Branca (The Great White Hope, 1970), sempre interpretando esterótipos latinos ou indígenas. Na televisão, ainda atuou em séries como Gunsmoke e Bonanza.

Ele voltou a ter uma melhor oportunidade ao ser escalado por George Lucas como Carlos, um líder de gangue em Loucuras de Verão (American Graffiti, 1973). Ele repetiria o papel na continuação American Graffiti - E a Festa Acabou (More American Graffiti, 1979).

Depois disto, só faria mais um filme, Scarface (Idem, 1983), praticamente como figurante. Depois, afastou-se da carreira artística, dedicando-se a outras atividades e passou a residir na cidade de Pomona.

Em 2008, ele reapareceu em um evento dedicado aos fãs do filme Loucuras de Verão (American Graffiti, 1973). Poucos dias depois, em 29 de janeiro de 2008, ele faleceu vítima de um tumor cerebral, com apenas 52 anos de idade.

Relembre a abertura da série Tarzan