Poucas pessoas sabem quem foi Antonio Carlos Bernardes Gomes, mas a coisa muda de figura quando se fala o nome "Mussum". O personagem ficou na memória afetiva de várias gerações que cresceram assistindo ao programa humorístico "Os Trapalhões".

Graças ao YouTube, o personagem tornou-se popular também entre as novas gerações que sequer eram nascidas na época em que o programa ia ao ar aos domingos, ou ainda nas reprises do programa que a Rede Globo exibia de segunda à sexta-feira pela manhã, na década de 1990.

Em entrevista publicada no jornal "O Dia" desta terça-feira (19), a diretora Susanna Lira falou um pouco da trajetória do artista que atuava em várias áreas, mas que ficou eternizado com o personagem "Mussum", integrante do quarteto do programa "Os Trapalhões", formado por ele, Renato Aragão (Didi), Dedé Santana (Dedé) e Mauro Gonçalves (Zacarias).

Antonio Carlos Bernardes Gomes (1941-1994) criou um vocabulário próprio para seu personagem. Mussum invariavelmente usa a terminação "is" sempre na última palavra de cada frase sua.

Sendo seu maior bordão a expressão "Cacildis".

Muitos não sabem que o comediante também atuava na área musical, tendo sido integrante do importante grupo musical "Os Originais do Samba". O grupo de samba chegou até mesmo a se apresentar fora do Brasil, e também teve importância na carreira de Elis Regina.

A cineasta ressalta na entrevista o fato de haver uma geração que reproduz tudo o que Mussum dizia e que o conheceu por meio de memes, mas, ironicamente, nunca o viram no ar. O documentário promete trazer novidades para os fãs do comediante, como o fato dele ter tido uma infância pobre e ter servido na aeronáutica.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Famosos Cinema

Também revela que seu envolvimento com o samba ter acontecido por causa de um amigo que o levou ao morro da Mangueira. Mussum aprendeu a tocar reco-reco e entrou para "Os Originais do Samba".

Diferentemente de Mussum, o comediante Antonio Carlos bebia moderadamente, enquanto Mussum adorava um "mé" (expressão que o personagem usava para denominar qualquer tipo de bebida alcoólica). O comediante era extremamente exigente com as notas escolares de seus filhos e sempre agia de maneira profissional em todos os seus momentos.

Lançamento

A rede de cinemas Cinemark é a responsável por levar ao público o documentário "Mussum - Um filme do Cacildis". O lançamento será feito dentro do programa "Projeta às 7", que oferece sessões de segunda à sexta-feira sempre às 19h. O filme será exibido em 20 salas da rede de cinemas que estão nos shoppings, com o ingresso no valor de R$ 12,00.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo