''Amizade Dolorida'' (Bounding), que estreou nesta última quarta-feira (24) na Netflix, aborda o BDSM (Bondagem, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo).

Esta prática sexual ganhou notoriedade com a franquia "Cinquenta Tons de Cinza", e agora a Netflix resolveu explorar o tema nesta nova série. A produção é baseada nas experiências reais do diretor, escritor e showrunner da série, Rightor Doyle.

A série de comédia chega ao serviço de streaming laureada com o prêmio de "Melhor Série Episódica" no Festival de Cinema LGBT Outfest.

"Amizade Dolorida" possui sete episódios curtos, que variam entre 12 e 18 minutos.

Publicidade
Publicidade

A trama em 'Amizade Dolorida'

A jovem Tiff (Zoe Levin) leva uma vida dupla, estudante universitária de dia e durante a noite ela trabalha como dominatrix.

Em determinado momento ela decide que precisa de um ajudante e chama seu amigo desde a época da escola, Pete (Brandon Scannell), para ser seu assistente.

Tiff é uma jovem que aparenta ser segura de si e não ter vergonha de seu trabalho como dominatrix.

Steve por sua vez é um jovem tímido e homossexual, que aceita trabalhar como assistente de sua melhor amiga simplesmente porque precisa do dinheiro.

No princípio em ''Amizade Dolorida'', Steve se mostra pouco a vontade com esta nova atividade, mas com o tempo ele vai se soltando e acaba até mesmo usando esta experiência na sua real vocação, a comédia.

Apesar de apresentar uma estrutura com episódios mais curtos que o usual para este tipo de produção, isto não garantiu agilidade à série, esta pode ter sido a intenção dos realizadores. Porém, isto não ocorre devido à forma como a narrativa é conduzida em "Amizade Dolorida''.

Publicidade

Pelas fotos de divulgação da série, pode-se ter a impressão de que a produção irá abordar o tema polêmico de uma maneira mais satírica, sem um compromisso didático.

E é o que a série parece fazer em seus primeiros momentos em que a dupla se envolve em situações cômicas, envolvendo chicotes, cordas e objetos usados nesta prática sexual. Infelizmente a série não rende piadas realmente boas, algumas delas chegam até mesmo a serem previsíveis.

Porém, ao longo do caminho, "Amizade Dolorida" abandona a comédia e começa a ter tons mais dramáticos.

Em certo momento, a produção procura investigar o passado da Tiff e dá a entender que ela sofreu algum tipo de abuso.

Enquanto Steve tem que lidar com o medo de se apresentar em público, seu maior desejo é ser um comediante.

Outra subtrama encontrada na série é a que investiga o passado em comum do casal protagonista, se por um lado este arco dramático é mal explorado, pelo menos tem o mérito de fazer uma ligação com o último episódio da série. E mais uma vez, a série flerta com outro gênero, desta vez o suspense.

Publicidade

Comunidade BDSM manifesta opinião sobre 'Amizade Dolorida '

Apesar dos elogios da crítica, a comunidade dominatrix já expressou a sua Opinião relativamente a série da Netflix. “Eu entendo que essa série é baseada superficialmente em uma experiência pessoal, mas ela joga uma sombra ruim e um estigma na dominação profissional. (...)”, escreveu a Mistress Synful Pleasure.

A sigla BDSM é utilizada como uma referência a grupos de pessoas que buscam a interação sexual entre dois ou mais parceiros onde um deles, ou os dois, são submissos dependendo do momento, em diversos graus.

Publicidade

BDSM se tornou mais comum após o lançamento da série de livros "50 Tons de Cinza", que conta a história de amor entre Anastasia Steele, uma estudante de literatura, e o multimilionário Christian Grey, que lhe mostra o mundo do sadomasoquismo, com detalhes de bondage, sadismo e masoquismo.

Estudos vêm aprofundando cada vez mais o conhecimento para os adeptos e interessados sobre o assunto.

"Amizade Dolorida" pretende atrair o espectador pela representação deste universo muitas vezes considerado “desconfortável”, trazendo piadas transgressoras.

Leia tudo