Muitos conhecem a Banda SCORPIONS por suas músicas que marcaram épocas e gerações, coo a "Still Loving You" e a "Wind Of Change", e com esses mestres surgiram uma legião de fãs de todas as idades, idosos, jovens, crianças, de todos os cantos do planeta.

Nessa entrevista, eles contam de onde veio a ideia de montar o grupo, contam sobre a paixão pela banda, e curiosidades que acontecem dentro da comunidade mais musical e mais venenosa do Whats.

Como surgiu a ideia de montar o grupo do Scorpions Brasil, e qual o intuito desse grupo do WhatsApp?

DAVID- Surgiu da mesma vontade que sempre tive em reunir os fãs da banda e levar o nome deles adiante.

Alguns grupos em que participei anteriormente, não seguiam adiante por tratarem não só da banda, então era uma coisa mais geral. A ideia de algo exclusivo vem daí.

David e Alexandre, conte-nos em poucas palavras o que é o Scorpions para vocês?

DAVID- É mais que a metade da minha vida.

ALEXANDRE- A banda para mim, tem um significado especial, pois os acompanho a 30 anos, ouço há muito tempo, mas vou ser sincero, nunca fui aquele cara que teve todos os discos, e ouvia todas as músicas, até porque, ter discos na década de 80 e 90, era artigo de luxo. Mas eles sempre me cativaram pela imagem de “Metaleiro” que eu tinha de Mister Rudolf Schenker VIDEO, sou fan declarado dele, e como eu sempre toquei guitarra, por hoby, então sempre ficava abismado pela “construção musical” da banda e claro, esse vocal inigualável que temos até hoje. Se for para eu resumir a banda em poucas palavras, cito: “Scorpions é uma escola que criou gêneros musicais e melhorou os pré-existentes.”

A banda sabe da existência do “fã clube” brasileiro?

DAVID- Sabem sim, Roberta já levava longe o Scorpions Brazil vários anos atrás. O SB sempre representou os Fãs brasileiros a frente da banda, foi fundamental na comunicação entre nós e eles.

Qual foi a situação mais inusitada que já contaram no grupo do whats ?

ALEXANDRE- A situação mais inusitada é difícil de dizer, pois, lemos coisas novas todos os dias, mas tem algumas bem “interessantes”, como, por exemplo, o caso de uma moça que tinha começado a seguir o grupo, mas ela tinha umas neuroses que deixavam meio “fora de si”.

E o pessoal começou a meio, que tentar a ajudar ela, quase que de forma psicanalítica, dando conselhos, demonstrando que ela poderia melhorar e tal. Para mim, foi excepcional por que, estávamos todos agindo em pró de um desconhecido e estávamos agindo como uma “família” virtual. Acho que esse foi o caso mais inusitado que vi no grupo até agora.

E dai para frente, percebi o quão sensacional é o grupo.

Qual a média de membros ativos que tem atualmente?

DAVID - Não sei dizer, mas na época de shows pelo Brasil, esse número aumenta muito, às vezes não da nem pra ler tanta mensagem.

No último show do Scorpions que aconteceu em São Paulo, o grupo chegou a combinar de se encontrar?

DAVID- Acredito que não, é sempre tudo muito corrido, talvez os membros combinaram em outro grupo, não sei dizer.

Vocês se consideram um grupo oficial da banda? Se sim, qual a sensação? Se não, o que falta para serem “batizados” como o maior fã clube brasileiro?

DAVID- Nunca nós consideramos algo oficial, já que oficial são somente eles... Mas, um fato curioso aconteceu em setembro do ano passado. Quando entregamos quadros para toda a banda em São Paulo, Klaus e Rudolf fizeram questão de tirar uma foto com a gente e postaram nas redes oficiais da banda, nos chamando de “nosso fã clube no Brasil”, então acho que isso é um título sim.

Klaus Meine sabe da existência desse grupo?

DAVID- Acho que sim :D

Qual foi o show mais marcante para vocês?

ALEXANDRE- Falando por mim, eu fui em apenas um show, quero ir em mais alguns se possível. O show foi em Florianópolis, na verdade, na grande Florianópolis, pois a casa de Show (Arena Petry) fica na cidade de Palhoça, a 30 km da capital. Eu morando em Imbituba, somente a 60 km de Palhoça, foi tranquilo a ida. Olha eu me lembro de que, a uns meses antes do show, eu assistia um vídeo do Show ao vivo dos Scorpions e pensava: “Como eu queria poder assistir um show deles!”, foi aí que a coisa ficou legal, consegui comprar o ingresso e assistir ao show.

Veja, na chegada da casa noturna tinham mais de 15 mil pessoas, o segurança do local me passou o número esperado.

Bom, na banda de abertura, pude ver de perto a banda Helloween, outro ícone da minha adolescência, me arrebentei de tanto pular, e depois ao chegar o início do show dos Scorpions, houve dois fatos que vou guardar para sempre:

1- Uma moça ao meu lado fala bem alto, enquanto eles adentram o palco tocando Going out With a bang, na verdade, gritando aos prantos: “Eles existem, eles são de verdade.”, fiquei até confuso tentando entender ela.

2 – Quando entraram no Refrão da Música “The zoo”, que era a 3 musica eu acho, minha mente meio que travou, sabem aquelas cenas de filmes que ficam em “câmera lenta”, pois é, dai veio as palavras que proferi em voz baixa, para mim mesmo e que nunca vou me esquecer: “Depois de 30 anos eles estão aqui na minha frente, isso parece um sonho!”.

Realmente foi um sonho realizado, e entendi também, por que a moça tinha dito aquilo (Eles existem, eles são de verdade!), esse fato foi como um “flache” rápido.

Daquela Música em diante, foi só alegria como dizem, mas ai quando tocaram "Send me an angel", retornei uns trintas anos em 10 minutos, que loucura. No final quando tocaram "Blackout" e "Rock you like a hurricane", eu já estava para lá de satisfeito, e alegre por poder dizer: “Ouvi e assisti” os Scorpions, posso falar para meus filhos e netos, que nem tenho ainda. Quero ir em outros Shows se Deus quiser, e poder vê-los novamente.

Após essa pandemia, vocês pretendem marcar algum encontro regional com os membros?

DAVID- Já tive conversas com alguns amigos para que isso aconteça, apesar de ser difícil, espero que consigamos o mais breve possível.

O que fazem vocês gostarem tanto desse grupo do WhatsApp do Scorpions Brasil?

ALEXANDRE- Primeiro, que o pessoal do grupo é muito legal, temos várias pessoas de várias “áreas” da sociedade, ligadas pelo grupo “Scorpions”. O David é um cara excepcional, ele e a Roberta, puderam fazer algo que às vezes,nós como fans não podemos: Eles podem passar diretamente aos scorpions, sobre o quanto somos fans, e quanto amamos suas músicas. E assim, é um grupo de pessoas de boa, gente amigável. Olha participei de alguns grupos de outras Bandas, e olha, a coisa é bem diferente. Quase sempre a maioria destes grupos do Whatsapp, seja sobre qual banda for, eles não têm contato com o pessoal das bandas, às vezes, nem por e-mail. E pior ainda, as bandas nem sabem que estes grupos existem. E para mim, o grande diferencial é que o grupo SB (Scorpions Brasil) é unido, temos nossa própria logomarca, seguimos uma “ordenação” e sim, a banda sabe que nós existimos e fazem até vídeos de fim de ano nos saldando. Que coisa mais linda! Fora o fator de que somos quase uma “família”, nosso fan clube, (cito por que me sinto assim dentro do grupo, respeito claramente os criadores David e Roberta), está em praticamente todo território nacional, de Norte a Sul. Estou aprendendo muito com o grupo, fazes da história da banda que eu não conhecia, lendo sobre membros que eu nem sabia que participaram da banda. E o mais legal, são as amizades que vamos criando, e cito pessoas que passaram pelo grupo, que acho que fazem falta, como é o caso da Simone, que por motivos particulares saiu do grupo, ela é de Minas Gerais, e de membros ativos que nos ensinam muito, como é o caso do Paulo, que é professor de história, e tem um conhecimento grande não só sobre os Scorpions, mas também sobre outras bandas. Cito aqui que o pessoal costuma dizer que o Paulo é, como posso dizer, “uma biblioteca” ambulante sobre música. E podemos citar vários outros que são “fans” de várias épocas, como a Ana, que são fans de carteirinha como Histembergh JR, que tem até uma guitarra signature do Rudolf Schenker. E falo mais, se os Scorpions é a escola, este grupo é a sala de aula. Eu poderia descrever mais e mais pessoas, como a própria Blenda que criou este “fanzine”. Suely que é muito ativa no grupo, sempre expondo belos vídeos da banda, me parece uma fan assídua do bom e velho Hard Rock. O Ítalo que tem um bom conhecimento da banda e shows da mesma, e que até a gente de vez em quando conversa sobre partes técnicas das músicas, como: afinação de instrumentos, montagem de palco, sonoridade de amplificadores, etc. Posso citar que o grupo é unido, tem espaço para aqueles que seguem a banda e também tem espaço para todos que querem comentar sobre a banda, e o princípio da “democracia” é muito bem respeitado. Isso são as pequenas coisas que posso citar sobre o grupo.

O grupo é aberto a todos os amantes da banda, simpatizantes e apaixonados pelos escorpiões mais Famosos de todas as gerações.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Música
Seguir
Siga a página Tendências
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!