O café passou a ser um dos queridinhos das dietas saudáveis e do emagrecimento [VIDEO]. Os efeitos termogênicos da cafeína fazem com que seja uma das mais notórias recomendações a quem precisa perder alguns quilos.

Além disso, toda a mitologia em torno do café faz com que seja, sem sombra de dúvidas, a bebida mais consumida do mundo corporativo, quer seja para aumentar a produtividade, quer seja para afastar o sono e a preguiça.

Mas é possível beber café em níveis que possam ser fatais? Recentemente, dois estudantes da Universidade Northumbia, do Reino Unido, Luke Parkin e Alex Rosseto, ficaram à beira da morte após um experimento acadêmico em que beberam algo equivalente a 300 xícaras de café.

Em maio de 2017, o estudante Davis Cripe, de 16 anos, entrou em colapso na escola e morreu no dia seguinte em um hospital da Carolina do Sul, nos Estados Unidos. Ele não fumava e não usava drogas, mas antes do episódio consumiu um refrigerante grande, um café com leite e uma bebida energética em um curto intervalo de tempo. Segundo o médico legista que realizou a autópsia no adolescente, o excesso de cafeína era a causa oficial da morte.

No mundo moderno e que nunca dorme, o café é uma entidade onipresente, mas o grande problema pode estar na cafeína “escondida” em outros produtos. A literatura médica mostra apenas 45 mortes conhecidas relacionadas à cafeína relatadas entre 1959 e 2010. Um estudo de 2017 encontrou 51 casos de overdose de cafeína nos últimos anos e todas as vítimas apresentaram níveis "incrivelmente altos" de cafeína no sangue.

Os melhores vídeos do dia

A cafeína é encontrada no café, mas também em produtos à base de chocolate, energéticos, refrigerantes e bebidas estimulantes. Segundo o Dr. Robert Glatter, médico de emergência no Lenox Hill Hospital, de Nova York, em entrevista ao USA Today, a maioria das pessoas pode tomar com segurança cerca de 400 miligramas de cafeína diariamente, o equivalente a cerca de 4 xícaras de café, mas esse limite pode variar de acordo com as condições de saúde e da interação dessa cafeína com outras substâncias, como o álcool.

Por esse motivo é tão perigosa a combinação tão comum em festas e baladas de energéticos com bebidas alcoólicas como vodca e uísque. De acordo com o médico, o risco de intoxicação por álcool também aumenta porque sentem que a cafeína os manterá acordados e alertas.

Mas, afinal, quanta cafeína pode realmente causar a morte de uma pessoa? Especialistas afirmam que uma pessoa teria de beber de 80 a 100 xícaras de café rapidamente, o que equivale a cerca de 23 litros de café ou 10 a 13 gramas de cafeína pura. E mesmo que você pudesse beber tanto café, a quantidade excessiva de água presa no seu corpo o mataria antes, diluindo nutrientes essenciais na corrente sanguínea.