A música tem a capacidade de induzir uma pessoa de um determinado estado de espírito para outro em questão de poucos minutos para diferentes situações. Os intervalos musicais de escalas menores, por exemplo, são conhecidos por evocar uma certa tristeza ou melancolia, enquanto os de escalaras maiores estão associados a sentimentos mais alegres. Inclusive, o uso da música na medicina está presente em tratamentos, como os que buscam melhorar o desenvolvimento cognitivo ou ainda para reduzir a ansiedade.

Mas apenas os seres humanos são sensibilizados por elementos como timbre, altura, intensidade, densidade e duração? A música também diminui o stress em gatos, de acordo com um novo estudo publicado pela revista Journal of Feline Medicine and Surgery, no qual foi analisado o efeito de sons e a relação com os níveis de agitação nos gatinhos.

Em pesquisas anteriores, já havia sido constatado que os bichinhos felinos são responsivos ao som de música mesmo quando estão sob anestesia, e a música clássica já mostrara um efeito mais relaxante que o estilo pop ou o heavy metal, por exemplo.

O presente estudo, entretanto, não se limitou apenas aos sons considerados musicais por humanos, mas incluiu também de sons felinos específicos. Os gatinhos mostraram preferência por músicas que apresentavam “vocalização felina” de determinado ritmo e determinada frequência vocal.

Os seres humanos tendem a preferir uma batida semelhante ao ritmo do coração e uma frequência condizente com a extensão vocal humana.

Na pesquisa, a “música de gatinho” consistiu em linhas melódicas que imitavam sons emitidos por gatos, como ronronar, por exemplo, além de ter utilizado uma extensão de frequências vocais felinas, que são de duas oitavas acima da dos seres humanos.

Efeito calmante em gatinhos

Foram analisados 20 gatos domésticos, que ouviram músicas, durante 20 minutos, com sons felinos, música clássica, ou nenhuma música, em visitas aleatórias do veterinário em duas semanas distintas.

Os níveis de stress físico e psicológico dos bichinhos foi medido pela postura corporal, pelo comportamento e pela resposta e a reação ao contato físico com a pessoa e na realização de exames. Os cientistas também fizeram exames de sangue para analisar os níveis de leucócitos e os linfócitos como uma medida de stress.

Os resultados mostraram que a música com sons felinos causou redução do stress, apresentando os menores valores, se comparada à música clássica ou a nenhum som. Os pesquisadores concluíram, portanto, que a “música felina” pode beneficiar gatos, ao diminuir os níveis de inquietação, e contribuir para uma melhor qualidade no cuidado dos gatinhos em clínicas veterinárias.

Não perca a nossa página no Facebook!