No dia 9 de março de 1500, uma segunda-feira, o português Pedro Álvares Cabral saiu de Lisboa ao meio-dia para explorar o alto-mar. No dia anterior, o rei Manuel 1°, o Venturoso (1469-1521), realizou um grande evento junto a uma multidão de pessoas, sem imaginar que após 44 dias Cabral estaria desembarcando na costa do que viria a se tornar o Brasil.

Na época, Cabral tinha 33 anos e era cavaleiro da importante Ordem de Cristo desde 1494. Sua frota que saiu de Lisboa era composta por treze embarcações (nove naus, três caravelas e uma naveta com mantimentos).

Entre 1200 e 1500 homens fizeram parte da expedição, que seguiu uma rota diferente da usual, que costumava margear a costa africana.

Em 22 de abril Cabral chega em terra firme

As embarcações passaram pelas Ilhas Canárias em 14 de março, e em 21 de março atravessaram o arquipélago de Cabo Verde. No dia seguinte a nau de Vasco de Ataíde desapareceu e, segundo historiadores, não há vestígios dela até os dias atuais. Em 9 de abril, a expedição conseguiu cruzar a linha do Equador e, alguns dias depois, foram avistadas algas marinhas, o que os fez achar que estavam próximos das Índias, destino da viagem.

No entanto, ao desembarcaram em 22 de abril no que hoje é parte do estado da Bahia, Cabral e os demais perceberam que haviam encontrado um "novo mundo".

Fechamento da rota de Constantinopla possibilitou a descoberta do Brasil

A chegada dos portugueses ao Brasil foi um dos maiores momentos das grandes navegações, que tiveram início no século 15. Essas grandes navegações seriam para explorar de forma organizada o Oceano Atlântico. Isso só foi possível graças à unificação territorial e a estabilidade política, que promoveram o desenvolvimento comercial e tecnológico das naus de Portugal.

Portugal tinha uma localização geográfica que permitia um acesso fácil às correntes marítimas do Oceano Atlântico, possibilitando que o desenvolvimento de Lisboa crescesse a tal modo que a cidade passou a ser um importante centro comercial. No entanto, os portugueses foram forçados a explorar os oceanos, após a rota de Constantinopla ter sido fechada em 1453.

Espanha e Portugal disputam a América recém-encontrada

A expedição de Cristóvão Colombo, em 12 de outubro de 1492, já havia chegado ao continente americano, em uma empreitada financiada pela Espanha. Mas foi quando Cabral, 8 anos mais tarde, chegou à costa do que viria a ser o Brasil que ambos os países passaram a disputar a região, ainda que houvesse acordos entre espanhóis e portugueses como a bula Inter Caetera (1493) e o Tratado de Tordesilhas (1494).

De acordo com o Tratado de Tordesilhas, o continente foi dividido de norte a sul por uma linha imaginária. As terras que ficavam a leste desta linha seriam de Portugal, enquanto as terras que ficavam a oeste seriam da Espanha. Mas, com o passar do tempo, os portugueses começaram a invadir o território espanhol, de modo que o Brasil começou a ter os contornos atuais.

Portanto, a Espanha não conseguiu se defender das investidas dos portugueses, e em 1750, o Tratado de Madrid substituiu, oficialmente, o Tratado de Tordesilhas.