Nesta quarta-feira (5), o texto que trata do auxílio emergencial de R$ 600 para pequenos agricultores foi aprovado no Senado, e mulheres chefes de família terão direito a cota dobrada.

De acordo com o texto, o projeto concede 5 parcelas de R$ 600 aos agricultores que não receberam o benefício destinados aos informais, como foi decidido pelo Governo federal.

O projeto que beneficia essa classe de trabalhadores foi relatado pelo senador Paulo Rocha (PT-PA) e já havia sido aprovado na Câmara. No texto consta o pagamento de duas cotas no valor de R$ 1.200 às mulheres agricultoras chefes de família.

Segundo o relator, todos que fazem parte da agricultura familiar têm pressa de receber essa ajuda dado ao agravante econômico provocado pela pandemia da covid-19.

Rocha ainda ressalta que tais valores irão amenizar as dificuldades, mas não as resolverão.

Projeto visa apoiar a todos que precisam do auxílio emergencial

O texto do projeto ainda consta a criação do Fomento Emergencial de Inclusão Produtiva Rural, que propõe o apoio a atividade agricultora dos familiares pelo tempo que durar a crise de calamidade pública decorrente da pandemia da covid-19.

A pretensão é de que o programa do auxílio emergencial consiga apoiar todos aqueles que se encontram em situação de pobreza e extrema pobreza e que não fazem parte dos beneficiários da classe rural.

Visando fornecer maior suporte a essa classe de trabalhadores, a ampliação do programa propõe o acesso ao fomento de até R$ 2.500 por cada família, destinado em uma única parcela.

O texto ainda visa a possibilidade de implementação de cisternas e outras tecnologias sociais que contribua para o acesso à água seja para produção de alimentos ou para consumo humano e nesse caso o valor por família pode chegar a até R$ 3.500.

Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), líder do governo no Senado, apoia o projeto e afirma que ele vem para suprir uma demanda de 12 mil agricultores que ainda não receberam nenhum auxílio do governo.

Nessa proposta ainda está mantida a impossibilidade de os bancos responsáveis realizar qualquer tipo de descontos (abater dívidas do agricultor ou regularizar saldo bancário) que venha a reduzir o valor do auxílio emergencial.

Criação de linhas de crédito para produtores da agricultura familiar

O projeto visa ainda criar linhas de crédito ao pequeno agricultor por meio do Conselho Monetário Nacional (CMN) dentro do Programa Nacional de Fortalecimento da agricultura Familiar (Pronaf).

O objetivo é beneficiar os agricultores familiares que têm uma renda de até três salários mínimos.

De acordo com o relator, a necessidade de abertura da linha de crédito se dá a medida que o pequeno produtor deverá aplicar investimentos em sua produção em 2021, evitando assim que haja diminuição na produção de alimentos.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!