Na última sexta-feira (18), o Magazine Luiza anunciou o lançamento de um novo programa de trainee exclusivamente para pessoas negras. Desde então, as ações da empresa negociadas na bolsa de valores de São Paulo ganharam uma valorização de cerca de 2,6%. Com isso, as ações do Magazine Luiza, que antes eram negociadas a R$ 87,16, fecharam esta terça-feira (22) a R$ 89,48.

Contudo, de acordo com o portal Yahoo Finanças, a valorização dos papéis da empresa negociados na bolsa de valores pode ter ligação a outros inúmeros fatores. Para comprovar tal hipótese, no início deste ano, quando começou a pandemia do novo coronavírus, a empresa também acabou beneficiada, isso por conta do aumento da demanda de compras feitas através da internet.

Quando o período de pandemia se iniciou, a Magalu já se encontrava preparada para atender o aumento na demanda de pedidos, isso devido a investimentos feitos anteriormente pela empresa na área da tecnologia.

Após o anúncio do trainee exclusivo para negros, alguns internautas chegaram a considerar o programa como crime de racismo e outros, inclusive, chegaram a usar o termo “racismo reverso” para criticar o anúncio feito pela empresa. Contudo, muitos também usaram as redes sociais para elogiar a iniciativa tomada no intuito de corrigir a desigualdade racial que ainda existe no mercado de trabalho brasileiro nos dias atuais.

CEO da empresa comprova distorção racial

Frederico Trajano, CEO da empresa, concedeu uma entrevista para o jornal O Estado de S.

Paulo, onde compartilhou alguns números comprovando a distorção racial ainda presente nos dias atuais. Com base nesses dados, 53% dos funcionários da empresa são negros, contudo, apenas 16% deles possuem um cargo de liderança. Além disso, ainda segundo informações de Frederico, em 15 anos de programas de trainees realizados pela Magalu, a cada 250 formados, apenas 10 eram pessoas negras.

Na entrevista, Trajano afirmou que a dificuldade de acesso tem sido considerada um problema para a empresa, já que eles acreditam que “a diversidade aumenta a competitividade”. “Queremos resolvê-lo”, afirmou o CEO. De acordo com a visão de Frederico, uma grande empresa é considerada mais capaz de enfrentar os desafios gerenciais e estratégicos que surgem em um mundo que vive em constante transformação.

Outras empresas demonstram mesma visão

Além do Magazine Luiza, outras empresas também têm demonstrado compartilhar da mesma visão que Trajano, entre elas a Bayer, que também já lançou um programa de trainees exclusivamente para pessoas negras. A empresa de cosméticos Natura também demonstrou interesse em valorizar a diversidade, isso depois que incluíram o ator transexual Thammy Miranda na campanha de Dia dos Pais. O filho da cantora Gretchen se tornou pai do pequeno Bento recentemente. Depois disso, as ações da empresa também valorizaram, no entanto, na ocasião, a empresa chegou a ser alvo de polêmica e duramente criticada nas redes sociais.

Siga a página Vagas
Seguir
Siga a página Negócios
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!