Morreu na noite desta segunda-feira (20) o tricampeão mundial do Fórmula 1 Niki Lauda, em Viena, na Áustria. Ele tinha 70 anos e no ano passado havia sido submetido a um transplante de pulmão. Segundo as primeiras informações, Lauda morreu ao lado do familiares por conta de uma falência renal. Ele venceu os campeonatos de Fórmula 1 em 1975, 1977 e 1984.

“Com profunda tristeza, anunciamos que nosso amado Niki morreu pacificamente com sua família”, informava um e-mail assinado pela família do ex-piloto.

Publicidade
Publicidade

Ele era casado desde 2009 com Birgit Wetzinger, com quem tinha dois filhos gêmeos. Entre 1976 e 1991 Lauda foi casado com Marlene Knaus com quem teve outros dois filhos. Ele ainda teve um outro filho fora do casamento.

No inicio de 2018, quando viajava com a família para Ibiza, na Espanha, Lauda contraiu uma gripe. O quadro evoluiu para forte tosse e febre alta e ele teve que viajar para a Áustria, onde ficou internado. Após uma ligeira melhora, o quadro se agravou e ele precisou passar por um transplante de pulmão.

Familiares não deram apoio no começo da carreira

Neto de um banqueiro, Niki Lauda não teve o apoio que esperava da família no começo da carreira e precisou tomar empréstimo em outro banco para financiar sua entrada no automobilismo. Depois de correr pela equipe March na Fórmula 2, o austríaco estreou na Fórmula 1 em 1971, correndo no GP disputado em seu país.

No ano seguinte, após tomar outro empréstimo, ingressou na equipe BRM, onde marcou seus primeiros pontos na categoria.

Publicidade

A troca de informações com engenheiros e mecânicos impressionou e em 1974 ele foi convidado por Clay Regazzoni para se juntar à Ferrai, onde viria a conquistar seu primeiro título, em 1975, após vencer cinco corridas.

Inferno verde

Em 1976 Lauda caminhava soberano para a conquista de seu segundo título quando sofreu um violento acidente no Grande Prêmio da Alemanha, disputado na pista de Nürburgring, GP o qual ele havia tentado boicotar alegando falta de segurança.

No acidente, sua Ferrari pegou fogo e seu estado era tão crítico, que até um padre foi chamado para fazer sua extrema-unção.

Mais impressionante que seu acidente foi sua recuperação e apenas 45 dias depois de quase ter morrido ele estava novamente à bordo de sua Ferrari e seguiu na briga pelo título com o inglês James Hunt. Na última corrida da temporada, disputada em Fuji, no Japão, alegando falta de segurança, o piloto desistiu de correr na segunda volta e o título foi para o rival.

Publicidade

A rivalidade entre Lauda e Hunt foi retratada mais de 30 anos depois no longa-metragem "Rush".

Em 1977 Lauda teve uma temporada dominante, venceu o título por antecipação e deixou a Ferrari, indo correr na Brabham, no entanto, a falta de resultados o fez abandonar as pistas na metade da temporada de 79.

Volta pela McLaren em 81

Depois de um ano e meio sabático, Lauda voltou a correr em 1981 pela McLaren e em 84 conquistou com a equipe inglesa seu terceiro e último título, ao vencer seu companheiro Alain Prost por meio ponto.

Publicidade

Deixou definitivamente as pistas em 1985.

Leia tudo