Nesta quarta-feira (20), o Chicago Bulls venceu em seu ginásio, United Center, a equipe do Detroit Pistons, por 109 a 89, em partida válida pela temporada regular da NBA. O reencontro com o resultado positivo, após três derrotas, deixou a o time treinado por Jim Boylen na décima posição da Conferência Leste.

Já o Detroit segue com um baixo rendimento na competição e ocupa o 14º lugar, com quatro êxitos em 14 duelos, e não ganha há cinco jogos.

Em busca de afirmação dentro do torneio o Chicago veio para quadra com um quinteto formado por Shaquille Harrison, Lauri Markkanen, Wendell Carter Jr., Zach Lavine e Tomas Satoransky.

Seu oponente dirigido por Dwane Casey, começou com Langston Gallowey, Blake Griffin, Andre Drummond, Luke Kennard e Bruce Brown.

Quando a bola subiu, os donos da casa imprimiram um forte ritmo e abriram vantagem, Zach Lavine inaugurou a contagem, acertando um arremesso de três. Satoransky estava solto e deu bons passes, Lauri Markkanen aproveitou algumas assistências do companheiro checo que chegou este ano à sua franquia.

Em uma delas, o número 24 do Bulls, deu uma bela enterrada, depois do armador driblar dois defensores e encontrá-lo bem posicionado de frente para o aro, para fazer 10 a 2 no placar, cesta e festa da torcida.

O Pistons tinha suas peças que chamaram a responsabilidade para tentar equilibrar a disputa: Andre Drummond fazia seu papel no setor ofensivo pontuando e brigando pelos rebotes, Luke Kennard e Langston Galloway contribuíram bastante na reação do time dentro do primeiro quarto.

Depois de virarem a diferença negativa no marcador, os visitantes presenciaram o talento do novato Coby White nas tentativas de longe para deixar tudo igual, 30 a 30, no primeiro período.

Nos 12 minutos seguintes, a segunda formação das equipes buscou manter a intensidade e eficiência, Ryan Arcidiacono entrou bem no Chicago Bulls e auxiliou Coby nas investidas ao ataque.

Destaque para um lance defensivo de Drummond na proteção do garrafão do Detroit Pistons, evitando uma cravada de Markkanen; ele pulou alto para pôr a mão na trajetória da bola, e interceptar a tentativa com um toco incrível.

Pouco tempo depois Shaquille Harrison mostrou porque foi escolhido como titular, em rápido contra-ataque puxado por Satoransky, Harrison concluiu a trama com uma enterrada de costas para delírio dos fãs, 49 a 42, a favor para os anfitriões; o segundo quarto acabou 59 a 55 para o Bulls.

No terceiro período, novamente a vantagem ficou com o Chicago, 84 a 71, Tomas Satoransky e Coby White colaboraram convertendo arremessos do perímetro.

Confirmando a regularidade durante o confronto, o Chicago Bulls manteve a pegada no quarto decisivo e ampliou a contagem, diferentemente de jogos anteriores, em que a franquia esteve à frente, durante grande parte das partidas, no placar, mas não manteve a liderança e saiu derrotada. Desta vez, o grupo foi firme até o último segundo para conquistar a vitória por 109 a 89.

Agora a equipe do lendário Michael Jordan, detentora de seis campeonatos da liga norte-americana de basquete, está em décimo lugar, com cinco triunfos em 15 encontros.

Melhores em quadra

  • Bulls- Lauri Markkanen, 24 pontos, nenhuma assistência e 6 rebotes; Shaquille Harrison, 15 pontos, 5 assistências e 11 rebotes (duplo-duplo); Tomas Satoransky, 15 pontos, 7 assistências e 4 rebotes.
  • Pistons- Derrick Rose, 18 pontos, 2 assistências e 3 rebotes; Blake Griffin, 16 pontos, 1 assistência e 8 rebotes; Luke Kennard, 14 pontos, 4 assistências e 1 rebote.

Próximos confrontos

  • Chicago Bulls e Miami Heat, sexta-feira (22), às 22h (Brasília), no United Center.
  • Detroit Pistons e Atlanta Hawks, sexta-feira (22), às 21h (Brasília), na Little Caesars Arena.
Siga a página NBA
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!