Nesta quarta-feira (20), o Chicago Bulls venceu em seu ginásio, United Center, a equipe do Detroit Pistons, por 109 a 89, em partida válida pela temporada regular da NBA. O reencontro com o resultado positivo, após três derrotas, deixou a o time treinado por Jim Boylen na décima posição da Conferência Leste.

Já o Detroit segue com um baixo rendimento na competição e ocupa o 14º lugar, com quatro êxitos em 14 duelos, e não ganha há cinco jogos.

Em busca de afirmação dentro do torneio o Chicago veio para quadra com um quinteto formado por Shaquille Harrison, Lauri Markkanen, Wendell Carter Jr., Zach Lavine e Tomas Satoransky.

Seu oponente dirigido por Dwane Casey, começou com Langston Gallowey, Blake Griffin, Andre Drummond, Luke Kennard e Bruce Brown.

Quando a bola subiu, os donos da casa imprimiram um forte ritmo e abriram vantagem, Zach Lavine inaugurou a contagem, acertando um arremesso de três. Satoransky estava solto e deu bons passes, Lauri Markkanen aproveitou algumas assistências do companheiro checo que chegou este ano à sua franquia.

Em uma delas, o número 24 do Bulls, deu uma bela enterrada, depois do armador driblar dois defensores e encontrá-lo bem posicionado de frente para o aro, para fazer 10 a 2 no placar, cesta e festa da torcida.

O Pistons tinha suas peças que chamaram a responsabilidade para tentar equilibrar a disputa: Andre Drummond fazia seu papel no setor ofensivo pontuando e brigando pelos rebotes, Luke Kennard e Langston Galloway contribuíram bastante na reação do time dentro do primeiro quarto.

Depois de virarem a diferença negativa no marcador, os visitantes presenciaram o talento do novato Coby White nas tentativas de longe para deixar tudo igual, 30 a 30, no primeiro período.

Nos 12 minutos seguintes, a segunda formação das equipes buscou manter a intensidade e eficiência, Ryan Arcidiacono entrou bem no Chicago Bulls e auxiliou Coby nas investidas ao ataque.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
NBA

Destaque para um lance defensivo de Drummond na proteção do garrafão do Detroit Pistons, evitando uma cravada de Markkanen; ele pulou alto para pôr a mão na trajetória da bola, e interceptar a tentativa com um toco incrível.

Pouco tempo depois Shaquille Harrison mostrou porque foi escolhido como titular, em rápido contra-ataque puxado por Satoransky, Harrison concluiu a trama com uma enterrada de costas para delírio dos fãs, 49 a 42, a favor para os anfitriões; o segundo quarto acabou 59 a 55 para o Bulls.

No terceiro período, novamente a vantagem ficou com o Chicago, 84 a 71, Tomas Satoransky e Coby White colaboraram convertendo arremessos do perímetro.

Confirmando a regularidade durante o confronto, o Chicago Bulls manteve a pegada no quarto decisivo e ampliou a contagem, diferentemente de jogos anteriores, em que a franquia esteve à frente, durante grande parte das partidas, no placar, mas não manteve a liderança e saiu derrotada. Desta vez, o grupo foi firme até o último segundo para conquistar a vitória por 109 a 89.

Agora a equipe do lendário Michael Jordan, detentora de seis campeonatos da liga norte-americana de basquete, está em décimo lugar, com cinco triunfos em 15 encontros.

Melhores em quadra

  • Bulls- Lauri Markkanen, 24 pontos, nenhuma assistência e 6 rebotes; Shaquille Harrison, 15 pontos, 5 assistências e 11 rebotes (duplo-duplo); Tomas Satoransky, 15 pontos, 7 assistências e 4 rebotes.
  • Pistons- Derrick Rose, 18 pontos, 2 assistências e 3 rebotes; Blake Griffin, 16 pontos, 1 assistência e 8 rebotes; Luke Kennard, 14 pontos, 4 assistências e 1 rebote.

Próximos confrontos

  • Chicago Bulls e Miami Heat, sexta-feira (22), às 22h (Brasília), no United Center.
  • Detroit Pistons e Atlanta Hawks, sexta-feira (22), às 21h (Brasília), na Little Caesars Arena.
Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo