O São Paulo Futebol Clube empatou em 1 a 1 com o Grêmio Novorizontino, no Estádio do Morumbi, pela quarta rodada do Campeonato Paulista, nesta segunda-feira (3). Desde o início da partida o Tricolor pressionou o adversário e criou chances para largar na frente do placar, porém esbarrou na forte defesa do rival, e na fraca arbitragem de Flávio Roberto Mineiro Ribeiro.

Tendo sua formação como juiz desde 2013, Flávio, com 24 anos, apresentou um desempenho extremamente contestado por jogadores, comissão técnica, dirigentes, e torcedores são paulinos, além das críticas recebidas por representantes da imprensa.

Logo no primeiro minuto de jogo, os anfitriões fizeram um gol com Alexandre Pato, após bom passe de Tchê Tchê, entretanto foi mal anulado pelo assistente Vitor Carmona Metestaine, ele deu impedimento do camisa sete, mas o atacante estava na mesma linha do zagueiro Adriano, que dava condições para o lance prosseguir normalmente.

Pouco tempo depois o mesmo erro voltou a ocorrer, aos 12’, Pato saiu de novo cara a cara com o goleiro Oliveira, desta vez, a assistência foi dada por Daniel Alves, ele driblou o arqueiro e rolou a bola para o fundo das redes, fazendo seu segundo tento no duelo, e saiu comemorando muito, mas viu outro gol ser invalidado de forma injusta.

No momento do passe o atleta estava atrás de dois marcadores do Novorizontino, Edson Silva e Adriano, mesmo assim Metestaine levantou a bandeirinha, e Flávio Roberto confirmou a decisão.

Neste instante o treinador Fernando Diniz saiu correndo indignado com o apontamento dos responsáveis pela aplicação da lei dentro do gramado, ele se dirigiu ao assistente gesticulando o que havia se passado na jogada, e explicando porque o julgamento estava equivocado, de nada adiantou sua queixa e o confronto seguiu 0 a 0.

A missão do Clube da Fé já seria complicada naturalmente por enfrentar a melhor defesa do campeonato, que não havia sido vazada antes do embate, no Estádio Cícero Pompeu de Toledo, e também por tentar transpassar o sistema tático armado pelo técnico Roberto Fonseca, com todos jogadores atuando atrás da linha do meio-campo, com rápida compactação.

No entanto se tornou mais complexa devido à má atuação do trio de arbitragem, mesmo enfrentando um time do interior que poupou oito titulares, pois enfrentará o Figueirense, na quinta-feira (6), pela Copa do Brasil, às 16h30 (horário de Brasília), no Estádio Doutor Jorge Ismael de Biasi.

Como se não bastasse o que havia ocorrido de imprecisão nas decisões, dos profissionais da arbitragem vinculados à Federação Paulista de Futebol (FPF), nos dois gols mal anulados de Alexandre Pato, também tiveram dois pênaltis a favor do São Paulo, que não foram dados, e uma entrada dura em Bruno Alves no fim do embate, que poderia resultar na expulsão de Léo Baiano, todavia, Flávio Roberto optou por aplicar o cartão amarelo.

O primeiro pênalti não assinalado foi em cima de Vitor Bueno, aos 26’, da etapa inicial, quando Felipe Rodrigues deu o bote fora do tempo e acertou a perna direita do oponente com o peito do pé, por trás, dentro da área, o juiz mandou o jogo seguir.

A segunda infração que resultaria em penalidade máxima para o Tricolor, não dada, foi no segundo tempo, envolvendo o equatoriano Arboleda e o lateral Felipe, de novo: após escanteio batido por Hernanes, aos 6’, Vitor Bueno tentou finalizar, houve um desvio na zaga, e o goleiro Oliveira saiu mal, a bola sobrou quicando na frente de Robert Arboleda, que chutou, porém o camisa dois abriu os braços para interceptar o arremate, Flávio não assoprou o apito e nada marcou.

O jogo

O Novorizontino deu trabalho com Danielzinho em duas ocasiões , aos 7’, Thiago Volpi interveio de maneira eficaz, e na outra tentativa, a zaga não deu liberdade, travando o camisa dez na hora precisa, aos 10’.

Mesmo sofrendo com as falhas cometidas pelo trio de arbitragem formado por Flávio Roberto Mineiro Ribeiro, Vitor Carmona Metestaine e Enderson Emanuel Turbiani da Silva, os donos da casa persistiram com o objetivo de vencer e convencer, foram inúmeras chances de gol criadas.

No primeiro tempo, Pablo buscou ir às redes utilizando a cabeça, aos 15’, mas Oliveira interveio espalmando. A energia caiu no bairro, e o campo ficou no escuro aos 36’, porém voltou um minuto depois, através dos geradores do Morumbi, que mesmo com as fortes chuvas durante o dia inteiro, teve um gramado em condições adequadas para o espetáculo, sem nenhuma poça da água.

Em cobrança de escanteio de Vitor Bueno, aos 41’, Hernanes quase deixou o dele: após finalizar, Felipe Rodrigues afastou o perigo praticamente em cima da linha da meta do visitante.

O Bombardeio do Tricolor paulista em busca do 1 a 0 se intensificou, mas sempre tinha um marcador para se colocar na direção dos arremates, impedindo a alegria dos 14.060 torcedores. No último lance Pablo tentou surpreender concluindo de longa distância, o arqueiro de Novo Horizonte, pôs para linha de fundo, aos 48’.

Na etapa complementar Hernanes teve oportunidade de cabeça, no entanto, mandou para fora, aos 6’. Outro que quase chegou lá foi Pablo, ele dominou com estilo um cruzamento de Tchê Tchê, mas após dividir com o goleiro, saiu com a bola pela linha de fundo, aos 11’.

Em novo momento ofensivo, Pablo Felipe Teixeira, chegou inteiro, dentro da área, e finalizou aos 19’, depois de ótimo levantamento de Juanfran, entretanto Oliveira salvou sua agremiação de ser vazada. Um pouco depois, também aos 19’, Reinaldo carimbou o travessão, chutando de longe e a bola saiu pra escanteio, após outra intervenção de Oliveira.

Quando parecia questão de tempo para que o placar fosse inaugurado pelo São Paulo, quem realizou esta ação foi o Grêmio Novorizontino: em rápido contra-ataque, Higor Leite, que substituiu Danielzinho, não perdoou, depois de receber sem marcação, aos 25’, ele ajeitou o corpo e escolheu o canto, 1 a 0.

A esta altura a equipe da capital buscou mais intensamente o gol para evitar a inédita derrota no Paulistão 2020, Vitor Bueno quase deixou tudo igual, aos 30’, após receber passe de Reinaldo, ele dominou e disparou o tiro, que passou perto da trave e foi para fora.

Aos 40’, enfim, o gol são-paulino aconteceu, e foi com uma das revelações da base do clube, localizada em Cotia. Brenner que entrou no lugar de Pato, balançou as redes aproveitando cruzamento de Vitor Bueno, contando com saída atrapalhada do arqueiro, 1 a 1.

O garoto de 20 anos, tentou sair comemorando correndo para os torcedores, apesar disso Daniel Alves o segurou para que recomeçassem logo a disputa, e tivessem mais chances de realizarem uma virada, o lateral, no entanto, foi arrastado pelo ímpeto e alegria do jovem na celebração, que recebeu o cartão amarelo por tirar a camisa.

Pablo, centroavante, ainda teve duas ocasiões para aumentar a alegria dos companheiros, mas não foi feliz, aos 49’, ele bateu em cima da marcação e ganhou escanteio, na cobrança, Arboleda desviou e Pablo colocou o bico da chuteira na bola, porém sem endereço, e o jogo foi encerrado por Flávio Roberto.

O Tricolor é o primeiro colocado do Grupo C, com oito pontos, e o Grêmio Novorizontino ocupa a segunda posição do Grupo B, também com 8.

Indignação de Lugano e Raí

Diego Lugano, diretor do São Paulo, expressou aborrecimento com o juiz do enfrentamento contra o Novorizontino, em seu Twitter, “noite de bom futebol e má sorte, anulação de dois gols muito legais, fáceis de apitar.

Dois pênaltis da mesma forma evidentes”.

Raí, Diretor de futebol do time do Morumbi, afirmou em entrevista na zona mista, ter entrado em contato com a FPF: “Alguns jogadores saíram até machucados. Eles se dedicaram para passar por cima do que foi feito, mas foi uma atuação calamitosa do árbitro. Um nível que não dá para considerar profissional, acho que até a própria Federação vai reconhecer que não foi um nível profissional”.

Federação afasta árbitro e auxiliares

Flávio Roberto Mineiro Ribeiro e seus dois auxiliares foram afastados, pela FPF, por causa do mal desempenho no confronto entre São Paulo e Novorizontino, e passarão por reciclagem, além de acompanhamento psicológico, técnico e físico.

Escalações

  • São Paulo- Tiago Volpi, Juanfran, Arboleda, Bruno Alves, Reinaldo, Tchê Tchê, Daniel Alves, Hernanes, Vitor Bueno, Pablo e Pato (esquema: 4-3-3).
  • Novorizontino- Oliveira, Felipe Rodrigues, Adriano, Edson Silva, Adilson Goiano, William Formiga, Cléo Silva, Léo Baiano, Jenison, Danielzinho e Capixaba (4-2-3-1).

Próximos compromissos pelo Paulistão

  • Santo André e São Paulo, no Bruno José Daniel, domingo (9), às 18 horas (horário de Brasília).
  • Novorizontino e Ituano, no Jorge Ismael de Biasi, domingo (9), às 19h (horário de Brasília).

Siga a página Futebol
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!