O Santos Futebol Clube bateu o Olimpia, de virada, por 3 a 2, pela quinta rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América. A partida que rendeu a classificação do time da Baixada às oitavas de final aconteceu no Estádio Manuel Ferreira, casa dos paraguaios, localizada na capital do país, Assunção.

Realizando um feito importante, devido à forma que o confronto se desenvolveu, o Peixe saiu ganhando, com um pênalti convertido por Carlos Sánchez, aos 13 minutos do primeiro tempo, mas o adversário passou à frente do placar rapidamente.

Jorge Eduardo Recalde, balançou as redes santistas duas vezes, em troca rápida de passes perto da área, Alejandro Silva encontrou o meia de 28 anos livre para aproveitar o cruzamento e empatar o jogo de cabeça, aos 21’.

Atacando com maior ênfase depois de alcançar a igualdade, logo veio o segundo gol do elenco treinado por Daniel Garnero, inteligentemente, o camisa sete, Néstor Camacho, deu ótima assistência para Recalde dominar no peito e guardar, aos 33’.

Liderar o marcador e ver o rival tomar as rédeas do encontro não intimidou o Alvinegro Praiano, além da entrega em campo e do comprometimento, havia também a sorte, que acompanhou Marinho na falta cobrada em direção à meta defendida por Librado Azcona, o arqueiro se atrapalhou quando o cruzamento tocou no chão e a bola entrou, aos 39’, 2 a 2.

Depois do intervalo, os comandados do técnico Cuca, chegaram à vitória que garantiu a vaga na próxima fase da competição: aos 12’, Marinho fez o levantamento, a zaga se atrapalhou, Sánchez dominou e tocou para Kaio Jorge driblar o goleiro e converter, 3 a 2.

Perdendo em seu território o Club Olimpia só tinha a opção de atacar para buscar a reação, e foi o que ocorreu, diversas oportunidades foram desperdiçadas, principalmente porque João Paulo se destacou na meta do Santos, ele pegou alguns chutes bem perigosos dos paraguaios, assegurando o grande feito dos brasileiros.

Este sucesso manteve o time praiano na ponta do grupo G, com 13 pontos conquistados em cinco jogos, o Olimpia ficou em terceiro, atrás do Defensa y Justicia, vice-líder, com seis.

Carlos Sánchez e Kaio Jorge desencantam

Ambos os atletas vinham amargando a seca de gols há certo tempo, o uruguaio não marcava desde fevereiro, e o jovem centroavante, tinha ido às redes, pela última vez, em março.

Nesta jornada importante no caminho do Alvinegro, a história foi diferente.

Entrevista coletiva de Cuca

Indagado sobre a ideia de escalar Madson mais recuado, como um terceiro zagueiro, Cuca dissertou sobre sua intenção: "Eu quis dar uma consistência maior pra defesa, a gente têm o Alex, que é um menino da base, nós não tínhamos outro zagueiro pela direita, então nós pusemos o Jobson fazendo a sobra e o Pará pra dar uma contenção maior, começamos bem, a ideia era ter saída de jogo, coisa que não estava ocorrendo, e quando nós tomamos o gol de empate, fomos ao plano B, que era a entrada do Madson pra zagueiro, adiantando o Jobson pra volante, com o Pará na lateral, ali o time se sentiu melhor naquele momento".

Ainda comentando a estratégia modificada em campo, o treinador afirmou: "Temos que enaltecer esses jogadores, fizemos tudo isso sem treinar, porque não tem tempo pra treinar, a pandemia é pra todo mundo, eu não fico chorando, é viajem longa, estava 40° graus, mas estava para os dois, então a gente está indo pro pau, sem reclamar de nada. Estamos pondo os meninos em jogo sobre jogo, e eles estão evoluindo muito".

Próximos compromissos

  • Olimpia e Guaireña, neste domingo (4), às 18h30 (de Brasília), no Estádio Manuel Ferreira, pelo Campeonato Paraguaio.
  • Goiás e Santos, no domingo (4), às 18h15 (de Brasília), no Estádio Hailé Pinheiro, pelo Brasileirão.

Siga a página Santos
Seguir
Siga a página Libertadores
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!