Um funcionário da funerária que preparou o corpo do ídolo argentino Diego Armando Maradona foi demitido após divulgar uma foto onde aparece ao lado do caixão aberto tocando o rosto do futebolista. Maradona morreu na última quarta-feira (24), aos 60 anos.

De acordo com o divulgado pelo jornal argentino La Nación nesta quinta-feira (26), o resultado preliminar da autópsia revelou que o ídolo argentino morreu após sofrer um infarto enquanto dormia.

Após a divulgação da imagem, o dono da funerária pediu desculpas aos familiares de Maradona e afirmou, em entrevista para a emissora Todo Noticias, do grupo Clarín, que o funcionário responsável pela divulgação da imagem foi “despedido imediatamente”.

Na imagem, o funcionário aparece fazendo um sinal de positivo ao lado do caixão aberto, enquanto tocava no rosto no ídolo argentino. A foto começou a repercutir nas redes sociais na manhã desta quinta-feira.

Advogado se diz perplexo

Matias Morla, advogado e amigo de Maradona, comentou sobre o ocorrido em uma rede social, onde se mostrou perplexo e chegou a afirmar que o funcionário é “um canalha”. Morla também diz que não irá descansar enquanto o funcionário não responder pelo que fez.

Em seu perfil em uma rede social, Morla diz que devido à imagem de seu cliente “em seu leito de morte”, ele irá pessoalmente encontrar o responsável que tirou essa fotografia. E mais, o advogado também diz que todos os responsáveis por essa “covardia” terão que pagar.

Morla já havia falado sobre a morte de Maradona

Antes do início da polêmica envolvendo a foto vazada, Matias Morla já havia falado sobre a morte do amigo e cliente, Diego Maradona, nas redes sociais. Em nota, o advogado do futebolista afirmou que a ambulância demorou para chegar.

Segundo Matias, a ambulância só chegou ao local mais de meia hora após ter sido acionada o que, segundo ele, é uma “idiotice criminosa”.

Morla diz que este fato não pode ser esquecido, por isso, pede que as consequências disso sejam devidamente apuradas.

Últimos minutos

Segundo o jornal argentino La Nación, peritos afirmam que Maradona morreu às 12h da última quarta-feira (24), horário que bate exatamente com a chegada da polícia e ambulância.

De acordo com testemunhas, o sobrinho foi a última pessoa a ver Maradona com vida.

Às 23h da terça-feira (24), o treinador estava em casa acompanhado do sobrinho, de uma cozinheira, uma assistente, uma enfermeira e um segurança.

Depois disso, às 11h30 da quarta-feira, a psiquiatra e o psicólogo pessoal do futebolista chegaram na casa, porém, não tiveram sucesso ao chamar por Maradona. Pensando que o jogador estaria dormindo, os profissionais chamaram por seu sobrinho que, acompanhado da assistente do jogador, tentou acordar o tio. Neste momento, não foram detectados sinais vitais no ex-jogador e a ambulância foi acionada.

Siga a página Futebol
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!