Na última segunda-feira, antes do empate de 0 a 0 com o Bragantino, no Maracanã, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro, a diretoria do Fluminense quitou os 70% restantes dos salários dos jogadores e funcionários do clube. No começo do mês de novembro, já havia sido realizado os pagamentos dos 30% iniciais dos vencimentos.

Para tranquilizar os atletas e manter o foco no restante da temporada, o presidente Mário Bittencourt prometeu acertar todos os débitos referentes a 2020 até o fim do ano. Enquanto isso, vem pagando partes das folhas sempre que obtém alguma receita. Dessa forma, evita a prorrogação da dívida e assegura que todos consigam receber ao menos uma parte dos vencimentos a cada mês.

Atualmente, os salários CLT de outubro e os direitos de imagens de agosto, setembro e outubro seguem em aberto. Novembro só vence no próximo dia 7 de dezembro.

Salários vêm sendo um problema há anos no Fluminense. Por diversas diretorias, o clube convive com uma grave situação financeira e pandemia do novo coronavírus deixou o cenário ainda mais desafiador. Para minimizar o quadro, a atual gestão fez acordos de redução salarial, gerando um refresco nos cofres das Laranjeiras. Houve, por exemplo, descontos em março (15%), maio (25%) e junho (25%), além de se postergar 50% de abril a ser quitado no mês de dezembro.

Dentro das quatro linhas, o Flu, após o tropeço contra o Bragantino, caiu para o oitavo lugar no Brasileirão e, somando 36 pontos.

No sábado, a partir das 19 horas (de Brasília), volta a jogar no Maracanã. Pela 24ª rodada da competição, encara o Athletico-PR.

Mário Bittencourt testa positivo para Covid-19

O surto da Covid-19 segue alto no Fluminense. A última vítima foi Mário Bittencourt. Após sentir alguns sintomas, o presidente tricolor realizou exames na última segunda, os quais deram resultado positivo.

O mandatário já iniciou a quarentena e sequer compareceu ao empate sem gols com o Bragantino.

No total, o Flu teve mais de 21 casos de Coronavírus entre jogadores, membros da comissão técnica e da diretoria. Em relação ao elenco, Marcos Paulo, Miguel, André, Luiz Henrique, Calegari, Luccas Claro, Nenê, Ganso, Fred, Wellington Silva, Yago, Caio Paulista, Pacheco, Michel Araújo, Nino e Egídio foram alguns dos contaminados.

Todos se recuperaram. No momento, o goleiro Muriel, o zagueiro Digão, os volantes Hudson e Yuri e o lateral-esquerdo Danilo Barcelos, além de Guilherme, lateral do Sub-23, estão afastados para cumprir a quarentena.

Por força estatutária, durante a ausência de Mário Bittencourt, que, de acordo com os protocolos de saúde, será de duas semanas, Celso Barros, vice-geral, assume a presidência. Mesmo integrando a chapa que, nas últimas eleições, sagrou-se vencedora, ambos, atualmente, são desafetos políticos.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Fluminense
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!