Ganhou destaque na imprensa mundial nos últimos dias o drama vivido por uma família na Índia, onde uma mulher deu à luz um bebê aparentando ter três cabeças. A criança, na verdade, sofre de encefalocele, que é uma doença rara que causa malformação no crânio. Com o avanço da medicina, muitas destas crianças conseguem sobreviver, mas sofrem com as sequelas.

Estima-se que cerca de 55% das crianças que nascem com encefalocele conseguem sobreviver, mas os pais precisam tomar todos os cuidados justamente por causa das sequelas.

Neste caso em específico, a situação foi ainda mais grave porque o pai do bebê tentou enterrá-lo vivo, alegando que não teria condições financeiras para criá-lo e muito menos pagar a cirurgia à qual precisaria ser submetida.

Criança já foi operada

Apesar da alegação do homem, o bebê já passou pela cirurgia necessária, que foi realizada com sucesso no hospital Sapthagiri. Após este procedimento, um familiar decidiu adotar o bebê.

A operação foi um sucesso, mas a criança precisará de muitos cuidados e o familiar aceitou se responsabilizar por ela.

Rajesh Thakur, que é o médico do hospital distrital, deu uma entrevista à imprensa local e disse que esta é uma condição raríssima e que o corpo do bebê poderá não se desenvolver corretamente devido ao problema, mas será preciso acompanhá-la para ver quais problemas poderão surgir à medida que ela vai crescendo.

Polícia investiga o caso

A garotinha nasceu em Uttar Pradesh, na Índia, e escapou da morte por muito pouco, tendo sido resgatada pelos policiais, que impediram o pai de enterrar a própria filha ainda viva.

O tio que adotou a menina está acompanhando tudo de perto e se informando para saber como ela precisará ser cuidada após receber alta hospitalar. Ainda é cedo para dizer quais sequelas ela terá, se a doença atrapalhará seu desenvolvimento físico e intelectual, por isso será preciso levá-la sempre para os exames médicos.

Não foi revelado o que aconteceu com o pai da bebê, se ele foi preso ou responderá em liberdade pela tentativa de assassinato.

Também não foi informado a respeito da mãe e o motivo dela deixar a filha ter sido adotada. A Polícia continua investigando o caso.

Mas como foi um tio que ficou responsável pelo bebê, ao menos ficará fácil para os pais ver a criança quando quiserem. Nas redes sociais alguns internautas chegaram a comentar sobre fazer uma "vaquinha virtual" e arrecadar dinheiro para ajudar no tratamento, mas nada foi confirmado. Quem quiser ajudar precisa tomar muito cuidado, pois muitas dessas "vaquinhas" são criadas na internet apenas com o intuito de enganar as pessoas, por isso é preciso se informar bem antes de depositar qualquer quantia.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!