Um avião Boeing 737 da empresa Ukraine International Airlines, com 176 pessoas a bordo, caiu na manhã desta quarta-feira (8), em Teerã, no Irã, logo após decolar do aeroporto Imam Khomeini, em Shahedshahr, a sudoeste da capital iraniana. Ele tinha como destino o Aeroporto Internacional Boryspil, em Kiev, na Ucrânia. As autoridades locais informaram que não houve sobreviventes e as caixas pretas já foram localizadas.

De acordo com informação passada pelo porta-voz da Organização de Aviação Civil do Irã, Reza Jafarzadeh, no aparelho havia 167 passageiros e nove tripulantes.

Vadym Prystaiko, ministro das Relações Exteriores da Ucrânia relatou que no voo estavam pessoas de sete nacionalidades, sendo que 82 deles eram iranianos. Também estavam no avião sete 63 canadenses, 10 suecos, quatro do Afeganistão, três do Reino Unido e outros três da Alemanha. Todos os sete tripulantes eram ucranianos.

Inicialmente a embaixada da Ucrânia em Teerã chegou a descartar que a aeronave tenha sido atingida por algum míssil ou sido alvo de ataque terrorista e que as causas da queda teriam sido provocadas por problemas no motor.

Mais tarde, no entanto, uma nova nota informou que as informações anteriores não eram oficiais e que as causas do acidente ainda estavam sendo apuradas.

Um vídeo postado nas redes sociais mostra a aeronave, ainda no ar, instantes depois de ter decolado. Nas imagens é possível ver que há fogo no aparelho e logo em seguida acontece uma explosão. Imagens do local do acidente e dos destroços do avião começaram a circular na internet.

A Boeing, fabricante do avião, está coletando informações para apurar o que pode ter acontecido. A empresa ainda não se manifestou sobre a tragédia.

A queda do avião da Ukraine International aconteceu poucas horas após o Irã ter feito um ataque com mísseis a bases que abrigam tropas americanas no Iraque, que foi uma resposta à morte do general Qassem Soleimani, mas ainda não há informação se os dois casos estão relacionados.

O governo ucraniano está organizando aviões especiais para se deslocarem até o Irã e repatriar os corpos das vítimas do acidente.

Companhias suspendem voos

As companhias aéreas Lufthansa e Air France anunciaram a suspensão por tempo indeterminado para os espaços aéreos iraniano e iraquiano. O anúncio foi feito antes da queda do avião da Ukraine International.

Já a companhia australiana Qantas informou que está alterando suas rotas também para evitar o espaço aéreo iraniano.

Na noite desta terça-feira (7), a Agência Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA), já havia determinado a proibição de aviões civis americanos sobrevoarem a região do Golfo e do Irã.

Não perca a nossa página no Facebook!