Nesta terça-feira (7), milhares de pessoas se reuniram para o funeral do general iraniano Qassim Suleimani, que aconteceu na cidade iraniana Kerman, terra natal do militar. Durante o cortejo de despedida de Suleimani, aconteceu uma grande confusão, que acabou deixando vários mortos. O general foi morto vítima de um ataque feito pelos Estados Unidos no Iraque.

As agências iranianas Isna e Fars, declararam que pelo menos 56 pessoas acabaram sendo mortas, enquanto outras 213 ficaram feridas durante a confusão que se iniciou durante o cortejo do general iraniano.

Devido à tragédia que aconteceu ainda no cortejo, o enterro do general foi adiado por algumas horas e só teve início por volta das 19h locais (meio-dia de Brasília).

Motivos da tragédia no funeral

Pir Hosein Kolivand, o diretor da Organização de Emergências, explicou o motivo pela qual ocorreu a tragédia em questão. Ele declarou que a situação aconteceu devido a uma grande aglomeração de pessoas que foram até o funeral do general, e que os hospitais da região já se encontravam em alerta quanto a essa possibilidade.

Entre os feridos no local, estão quatro crianças, que logo após a confusão foram levadas para diferentes locais para que acontecesse o atendimento.

O hospital Shahid Bahonar, que é referência em trauma em Kerman, foi o responsável por atender a maioria das vítimas da tragédia. As vítimas em sua maioria foram levadas para o local para serem tratadas. A rede de notícias estatal do local, Isna, informou que a maioria das vítimas que morreu no local foi em razão de sufocamento.

Entre os feridos que estavam no local foram notadas muitas fraturas no crânio e nos ossos.

Após o acontecimento, o presidente do Irã, Hassan Rouhanu, pediu para que seu vice e o seu ministro da Saúde, Said Namaki, passassem a concentrar os esforços necessários para poder atender a todos os feridos e também aos familiares das vítimas que foram afetadas pela tragédia. O presidente ainda lamentou o ocorrido através de um comunicado que foi feito e divulgado pela ISNA.

No comunicado de Rouhanu, ele declarava que, devido à presença de muitas pessoas ao local do funeral do general iraniano, para poder se despedir de Shahid Qassim Suleimani, aconteceram algumas situações em que alguns compatriotas acabaram perdendo suas vidas em uma tragédia. Na mensagem, o presidente aproveitou para poder prestar suas condolências aos familiares das vítimas que foram afetadas ou mortas durante a situação.

Antes de chegar a Kerman, o corpo de Suleimani foi levado do Iraque e passou por diversas outras cidades iranianas, antes de ser realizado o cortejo final no local. Na última segunda-feira (6) aconteceu uma procissão em Teerã, na qual milhares de pessoas se reuniram, o que acabou lotando diversas das principais vias da cidade.

Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!