Gregory St. Johns, o diretor de fotografia da série "Criminal Minds", está sendo processado atualmente pelo Departamento de Trabalho e Habilitação da Califórnia, suspeito de ter cometido assédio sexual contra outras pessoas que faziam parte da equipe da série, que foi exibida do ano de 2005 até fevereiro deste ano.

De acordo com o que foi divulgado pelo jornal The New York Times, o diretor de fotografia havia praticado assédio moral e sexual contra os membros da equipe da série durante os momentos dos bastidores das gravações. Os atos, inclusive, seriam do conhecimento da produção e dos executivos do canal.

O diretor de fotografia trabalhou no seriado até 2018, quando foi demitido da equipe. O programa de suspense era uma co-produção entre o canal CBS, ABC Signature e a produtora Entertainement Partners. Todas as empresas envolvidas na produção do seriado, assim como vários dos produtores do programa, estão sendo processados agora pelo caso.

Descrições dos supostos crimes

Segundo consta no processo movido contra Gregory, o diretor de fotografia tinha o hábito de apalpar os órgãos genitais e as nádegas de homens que faziam parte da equipe do seriado, durante os bastidores das gravações.

Além disso, também consta que o mesmo beijava e acariciava o pescoço e os ombros destes mesmos homens. No processo está descrito ainda que o diretor havia demitido mais de uma dúzia destes homens que resistiram aos assédios ou que reclamaram das investidas.

A ABC Signature Studios, que pertence à Disney, publicou um comunicado recentemente a respeito do caso, pelo qual alegou que não compactua com os comportamentos do diretor de fotografia da série, nem com comportamentos discriminatórios ou de assédio, como é o caso com Gregory.

Ainda no comunicado, a empresa destacou que trabalha para manter um ambiente de trabalho que seja livre de discriminação, assédio ou retaliação.

De acordo com o que consta no processo que está sendo movido atualmente pelo diretor de fotografia, várias pessoas da equipe de produção executiva tiveram conhecimento a respeito do comportamento inadequado de Gregory e apoiaram a conduta ilegal cometida por ele, e isso veio através da demissão de vários funcionários que reclamaram a respeito do comportamento adotado pelo diretor.

A ação além de estar processando diretamente os estúdios das empresas de Hollywood também colocou estes executivos como sendo réus do caso. Entre os réus estão a showrunner Erica Messe, os produtores executivos Harry Bing e John Breen Frazier.

Além deles o diretor Glenn Kershaw e a gerente de produção Stacey Beneville. O afastamento de Johns da série aconteceu após uma publicação que foi feita pela Veriety, onde foram detalhas as acusações recebidas pelo diretor de fotografia do seriado. Devido a isso o DFEH começou a investigação a respeito do caso em março de 2019.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!