Na Índia, um fato curioso estampou as manchetes de todos os sites do mundo, após um grupo de macacos provocar uma pequena "revolta", por assim dizer. Os animais, segundo fontes, teriam atacado um pesquisador que carregava consigo amostras de sangue positivas para coronavírus.

O caso rapidamente se espalhou ao redor do mundo e chamou a atenção. Nas redes sociais, inclusive, o termo "Macaco" alcançou os Trending Topics do Twitter no Brasil, em menção ao caso que aconteceu na Índia durante essa semana, e acabou tomando proporção global nesta sexta-feira (29).

Macacos 'assaltam' pesquisador do coronavírus

Segundo reportaram as autoridades do país, o pesquisador estava portando as amostras positivadas para o novo coronavírus, quando, de repente, foi atacado e roubado por um grupo de, digamos, ladrões. Contudo, não se tratavam de outros humanos, mas sim um grupo de macacos que, inclusive, levaram as amostras.

De acordo com o que foi repassado por autoridades, e apurado pela agência de notícias Reuters, o ataque aconteceu ao longo da semana, no momento em que um técnico do laboratório transitava pelo campus de uma universidade na Índia, mais especificamente na cidade de Meerut, cerca de 450 quilômetros da capital Lucknow, do estado de Uttar Pradesh.

Segundo o pesquisador S.

K. Garg, uma das autoridades vinculadas à universidade estadual de Meerut, os macacos agarraram as amostras enquanto atacavam o pesquisador e fugiram com todas as quatro amostras de quatro pacientes positivados para coronavírus e que estão em tratamento na Índia. "Tivemos que tirar novas amostras de sangue dos pacientes", disse o pesquisador em contato com a Reuters.

Riscos de contaminação por coronavírus

Durante o comunicado feito, autoridades indianas não informaram se os macacos derramaram ou não as amostras contaminadas. Nos arredores, moradores próximos à universidade estão com temor de que haja uma disseminação maior do coronavírus após o ataque dos macacos.

Quanto à saúde dos macacos, Garg salienta que não há indícios de que os animais possam contrair o novo coronavírus, e sequer estudos aprofundados de uma consequente transmissão para humanos. Isso porque, segundo pesquisas prévias, o vírus teria passado para humanos através do mercado e consumo de animais silvestres localizados em Wuhan, primeiro epicentro do coronavírus no mundo.

Atualmente, a Índia conta com 165.799 infectados pela doença, além de 4.706 mortes por covid-19. Segundo informações repassadas por autoridades, o país conta com 71.106 recuperados da doença.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!