1. Washington D.C. não teve apagão nas comunicações

Alegação: As autoridades de Washington D.C. impediram os manifestantes de usar seus smartphones para se comunicarem em 1º de junho de 2020, desativando os serviços de internet e telefone celular em um apagão temporário.

Fatos: Nas primeiras horas da última segunda-feira (1º), milhares de tuítes usando a hashtag #DCBlackout disseram que as comunicações foram bloqueadas em Washington D.C. para diminuir os protestos. O boato do apagão na capital dos EUA tomou conta das redes sociais, com mais de 500.000 tuítes espalhados no Facebook, Reddit e Instagram.

Verdade: Segundo a BBC, o Twitter “suspendeu centenas de contas que usavam a hashtag, citando as políticas de manipulação e spam da plataforma”. Além disso, como mostra o NetBlocks.org, “não havia indicação de interrupção em massa da internet durante a madrugada ou nas últimas 48 horas”.

Muitos jornalistas e organizações como a Black Lives Matter DC disseram que o boato foi falso e que eles não foram afetados por nenhuma interrupção na comunicação.

2. Policiais não destruíram o próprio carro para culpar manifestantes

Alegação: Policiais de Boston destruíram o próprio carro para culpar os manifestantes pela violência contra eles.

Fato: Na noite do último sábado (30), em Boston, policiais foram filmados quebrando o para-brisa de um veículo policial. Manifestantes filmaram os oficiais, acusando-os de quebrar o próprio carro. "Policiais de Boston flagrados em vídeo quebrando o próprio carro para culpar os manifestantes" era a legenda que acompanhava o vídeo.

Verdade: Outro vídeo publicado mais tarde mostra que este vídeo foi retirado de contexto. O novo vídeo mostra um carro da Polícia sendo atacado por manifestantes que pulam nele. Policiais são então filmados tentando retirar o para-brisa quebrado para poderem ir embora com o veículo. Portanto, o primeiro vídeo foi gravado quando os policiais tentavam remover os danos que os manifestantes causaram ao veículo.

3. MSNBC não usou imagens falsas para bombar cobertura dos protestos violentos na Filadélfia

Alegação: A emissora americana MSNBC usou imagens de um filme de zumbis para bombar a cobertura dos protestos violentos ocorridos na Filadélfia na última segunda-feira (1º).

Fato: A emissora americana foi acusada de usar o filme de zumbi "Guera Mundial Z" para descrever a situação violenta na Filadélfia. No Twitter, muitos usuários alegaram que o canal estava usando essas imagens falsas para bombar a cobertura. Uma montagem foi compartilhada no Twitter para provar essa alegação. Ela ilustra o boato com uma captura de tela do filme de zumbi e outra da transmissão do canal.

Verdade: Na última segunda-feira (1°), o usuário do Twitter Bad Scotter compartilhou esta montagem pela primeira vez. No entanto, um detalhe foi esquecido pelos internautas: no canto direito é possível notar a assinatura do homem com o recado "falso". Bad Scooter se desculpou no Twitter dizendo: “Bem, isso cresceu rapidamente.

SIM, o clipe da MSNBC era do ‘Guerra Mundial Z’, eu até marquei o vídeo acima do logotipo da MSNBC como 'falso'. Subestimei completamente o Twitter, muitos afirmaram que era ‘real’ - isso foi estúpido da minha parte". A emissora americana não tentou bombar a cobertura dos protestos na Filadélfia com imagens tiradas de um filme de zumbi.

4. Assassino de George Floyd não foi visto usando boné 'Make Whites Great Again'

Alegação: Um homem retratado em uma foto usando um boné de beisebol vermelho com a frase “Make Whites Great Again” [Torne os Brancos Grandes Novamente, em tradução livre] é Derek Chauvin, o policial de Minneapolis acusado de matar George Floyd.

Fatos: Em 27 de maio, uma montagem foi amplamente compartilhada nas mídias sociais, inclusive na conta oficial do bispo Talbert Swan no Twitter, que disse: “Aqui está Derek Chauvin, o policial racista que mantinha o joelho no pescoço de George Floyd, sufocou-o e o assassinou, usando um boné ‘Make Whites Great Again’, um sinal claro de que esse excremento deveria ter sido retirado das ruas há muito tempo”.

Verdade: De acordo com a pesquisa do site Snopes, esta montagem de Derek Chauvin e um homem usando um boné “Make Whites Great Again" é falsa. O homem de boné é na verdade Jonathan Lee Riches, um apoiador de Trump que já foi para a prisão e tem uma sólida reputação de trollar pessoas na internet.

Segundo a agência AP, Riches confirmou que ele é o homem da foto, mas disse que a imagem foi manipulada e que ele estava usando um boné "Make America Great Again".

5. Animais de zoológico não escaparam durante protestos pela morte de George Floyd

Alegação: Animais selvagens escaparam de zoológicos durante protestos pela morte de George Floyd.

Fatos: A primeira alegação compartilhada nas redes sociais foi que um tigre havia escapado de um zoológico em Oakland, na Califórnia.

Até a conta oficial no Twitter do xerife do condado de Alameda alertou os moradores sobre "um tigre à solta perto do zoológico de Oakland". Outra afirmação semelhante foi compartilhada sobre um hipopótamo que supostamente escapou do zoológico Lincoln Park, em Chicago. Após esses rumores, um terceiro boato apareceu sobre uma girafa caminhando por uma estrada em Minnesota.

Verdade: Todas essas alegações se mostraram falsas. A conta do Twitter do xerife do condado de Alameda posteriormente retificou o primeiro post e disse que o zoológico de Oakland verificou e confirmou que nenhum de seus tigres havia escapado. A imagem do hipopótamo era na verdade uma fotografia de um hipopótamo escapando de um circo itinerante na Espanha em 2016, segundo informações do site Snopes.

Finalmente, o post da girafa mostrava uma foto e uma captura de tela de um vídeo que, também segundo Snopes, está na internet desde pelo menos 2013.

6. Trump não tuitou que a família de Floyd estava honrada em ouvi-lo

Alegação: Um tuíte do presidente dos EUA, Donald Trump, afirma que a família de George Floyd estava "honrada" em ouvi-lo.

Fatos: Usuários do Facebook estão divulgando uma imagem de um tuíte supostamente publicado na conta oficial de Trump em 29 de maio, afirmando: “Conversei com a família de George Floyd.

Me disseram que estavam honrados em me ouvir.

Eu disse a eles que não quero ver outro homem negro morrer com um joelho no pescoço. Parecia doloroso. Existem melhores maneiras de morrer. Nenhum jeiTo é bom, mas aquilo foi muito ruim”.

Verdade: De acordo com a Reuters Fact Check, o tuíte é falso, não aparece na linha do tempo de Trump em 29 de maio, nem na busca do Twitter. O Politwoops, um projeto que registra todos os tuítes excluídos dos políticos, disse que a suposta publicação também não foi excluída da página de Trump.

7. George Soros não financiou protestos nem pagou pessoas para se tornarem 'anarquistas profissionais'

Alegação: As fundações de George Soros e os democratas do condado de Thurston contratam "anarquistas profissionais", pagando US$ 200 por ação direta.

Fato: Uma imagem de um panfleto para o recrutamento de "anarquistas profissionais" por US$ 200 está se espalhando nas redes sociais. Ela inclui a representação de uma obra famosa do artista Banksy, o logotipo da Open Society Foundations, o texto "Financiado por George Soros" e o contato dos democratas do condado de Thurston, no estado americano de Washington. O panfleto afirma que todo candidato ganha US$ 200 por "ação direta". No entanto, este folheto e a alegação são falsos.

Verdade: O folheto nas fotografias diz: “Seja pago para ser um… Anarquista Profissional! Seja pago até US$ 200/ação direta! (...) Entre em contato com a filial local da Open Society Foundation”. O presidente dos democratas do condado de Thurston, Victor Minjares, negou todas as alegações em um post no Facebook, escrevendo em letras maiúsculas: "ESTAS IMAGENS SÃO FORJADAS PARA COLOCAR OS DEMOCRATAS EM DESCRÉDITO".

A Open Society Foundations também comentou no Twitter: “Não pagamos manifestantes. Nem nosso fundador, George Soros”.

8. Antifas não lideraram protestos violentos ligados à morte de George Floyd

Alegação: Nos últimos dias, a teoria de que integrantes do movimento antifa –abreviação de antifascista– estão liderando os protestos violentos ligados ao assassinato de George Floyd se espalhou nas mídias sociais, com mais de 1,3 milhão de curtidas e compartilhamentos, segundo o jornal The New York Times.

Fato: No último domingo (31), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tuitou que "anarquistas liderados pela ANTIFA" e "anarquistas radicais de esquerda "estão envolvidos nos tumultos. No dia seguinte, o comentarista conservador Dan Bongino afirmou no programa de TV "Fox and Friends" que os antifas foram responsáveis por um ataque "sofisticado" à Casa Branca, referindo-se ao episódio como uma "insurreição".

Verdade: Não há evidências sobre uma "conspiração antifa". Além disso, nas redes sociais, essa teoria geralmente está ligada a um "manual" com "ordens de revolta", criado por democratas para ativistas antifa. No entanto, ele já foi apontado como "falso" em 2015, quando apareceu pela primeira, durante protestos pela morte de Freddie Gray, em Baltimore.

9. Morte de George Floyd não foi uma encenação

Alegação: Nas redes sociais, circulam rumores sobre a morte de George Floyd. Um vídeo afirma que Floyd não foi morto e que Derek Chauvin, o policial de Minnesota acusado de assassinato em terceiro grau e homicídio culposo em segundo grau, é na verdade um ator.

Fato: Na sexta-feira, 29 de maio, o canal de conspiração do YouTube JonXArmy compartilhou um vídeo alegando que a morte de George Floyd foi encenada. O vídeo foi compartilhado quase 100 vezes no Facebook, atingindo 1,3 milhão de pessoas. No Twitter, na semana passada, os usuários compartilharam centenas de vezes tuítes alegando que "George Floyd não está morto".

Verdade: Geroge Floyd foi morto pela polícia em 25 de maio de 2020. Derek Chauvin, o agente que estava ajoelhado no pescoço de Floyd, foi demitido e acusado de assassinato em terceiro grau e homicídio culposo em segundo grau. Três outros policiais foram acusados ​​de ajudar e permitir o assassinato em segundo grau. O YouTube removeu o vídeo postado por JonXArmy, citando sua política sobre discurso de ódio.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Animais
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!