O mundo das notícias é complexo, e histórias e imagens falsas costumam ser amplamente compartilhadas nas redes sociais. A equipe editorial da Blasting News identifica as informações enganosas e as fraudes mais populares toda semana para ajudá-lo a entender o que é verdade e o que é mentira. No último dia 13 de agosto, Kamala Harris foi escolhida pelo candidato presidencial democrata dos EUA, Joe Biden, para ser sua companheira de chapa. Como sempre, quando uma nova figura surge no palco político, rumores e notícias falsas costumam se espalhar para desestabilizar o novo oponente. Aqui estão as reivindicações mais compartilhadas desta semana, com foco em alguns boatos ligados a Kamala Harris, todos eles falsos.

EUA

Alegação: Twitter contratou o secretário de imprensa de Kamala Harris "para decidir o que o presidente dos Estados Unidos pode dizer no Twitter"

Fatos: No último dia 5 de agosto, Nick Pacilio, ex-secretário de imprensa de Kamala Harris, compartilhou um tuíte informando que uma postagem da conta da campanha de reeleição de Trump foi retuitada pelo presidente e depois removida pelo Twitter.

Segundo Pacilio, o motivo da remoção foi que a postagem violava as regras da plataforma contra notícias falsas sobre a pandemia de COVID-19, conforme sua posição no Twitter lhe permite saber. Depois de ver a postagem de Pacilio, o cofundador do The Federalist, Sean Davis, tuitou que “o Twitter contratou o secretário de imprensa de Kamala Harris para decidir o que o presidente dos Estados Unidos tem permissão para dizer no Twitter”.

Verdade: Esta afirmação feita por Davis é falsa. Primeiramente, Pacilio não é mais secretário de imprensa de Harris, ele deixou essa função em 2014.

Em segundo lugar, sua posição no Twitter não permite que ele aplique qualquer regra na plataforma. Ele é um representante da equipe de comunicação do Twitter, portanto não poderia pedir moderação dos tuítes de Trump, como relata site Snopes.

EUA

Alegação: Uma imagem da certidão de nascimento de Kamala Harris mostra que o documento identificou sua raça como "branca"

Fatos: Uma imagem da suposta certidão de nascimento de Kamala Harris foi amplamente compartilhada nas redes sociais.

O documento mostra que Harris foi identificada como “branca” por seus pais. Este post foi compartilhado por algumas celebridades, como Joseph Blakeney Brown Jr, advogado americano e personalidade da televisão, o que enfatiza o alcance do boato.

Verdade: O documento compartilhado é editado com um círculo vermelho mostrando a palavra “branca” para atrair a atenção do leitor para esse detalhe.

Com uma olhada mais atenta ao documento, no entanto, lê-se que a seção relacionada à palavra “branca” descreve a “cor ou raça da mãe”, não da criança. Assim, a palavra "branca" descreve a mãe de Harris, Shyamala Gopalan, que era tâmil índia-americana, conforme relata a agência Reuters. Algumas linhas abaixo, há uma seção semelhante para a “cor ou raça do pai”, listada como “jamaicano”. As certidões de nascimento evoluíram com o tempo, mas naquela época não continham nenhum detalhe sobre a raça da criança, como relata o site Snopes.

EUA

Alegação: A senadora Kamala Harris chamou Joe Biden de racista durante um debate presidencial

Fatos: Após o anúncio do candidato presidencial democrata dos EUA, Joe Biden, de que ele escolheu a senadora Kamala Harris como sua companheira de chapa, um boato foi compartilhado de que ela teria chamado o democrata de racista.

Esta alegação surge após Katrina Pierson, conselheira sênior da campanha de Trump, ter declarado: “Não muito tempo atrás, Kamala Harris chamou Joe Biden de racista e pediu desculpas que ela nunca recebeu”. Após esta declaração, várias veículos de notícia como Fox News e The Daily Caller espalharam a notícia, como relata o site Snopes.

Verdade: Houve uma discussão entre Harris e Biden sobre a questão racial durante o primeiro debate das primárias democratas em junho de 2019, mas a senadora nunca chamou o ex-vice-presidente de racista. A alegação vem do fato de que Harris apontou que Biden estava trabalhando com senadores que apoiam a segregação e por apoiar uma política anti-busing que atrasou a integração.

No entanto, ela disse explicitamente “não acredito que você seja racista”, como prova uma transcrição do debate compartilhado por Snopes.

CANADÁ

Alegação: Filha do presidente russo Vladimir Putin morreu em 15 de agosto, após tomar uma segunda dose da vacina contra Covid-19

Fatos: Um site chamado TorontoToday.net compartilhou informações sobre a filha do presidente russo Vladimir Putin. O artigo diz que ela morreu após tomar uma segunda dose da vacina contra a Covid-19. Segundo a publicação: “a filha de Vladimir Putin sofreu efeitos colaterais inesperados com a vacina experimental russa contra a Covid e faleceu em Moscou.

O Kremlin ainda não se pronunciou sobre a morte dela. Uma fonte dentro do círculo interno da Rússia afirmou que a filha de Putin –Katerina Tikhonova– sofreu um aumento de temperatura logo após sua segunda injeção e, em seguida, teve uma convulsão. Os médicos não foram capazes de reverter os efeitos colaterais da vacina, e ela foi declarada morta ontem à noite”.

Verdade: Como o site Snopes destaca, o Kremlin não confirmou esta afirmação, nem nenhum outro meio de comunicação confiável. As evidências compartilhadas para apoiar essas informações são uma "fonte não identificada no círculo interno da Rússia" e um vídeo do YouTube com "leitura de cartas de tarô", o que não torna a declaração confiável o suficiente para ser confirmada.

CINGAPURA

Alegação: Cingapura proibiu a venda de alimentos dos EUA devido ao coronavírus

Fatos: Um boato compartilhado no aplicativo de mensagens Line Messenger e no Facebook diz: “Não compre ou coma vegetais e frutas dos EUA... Cingapura já proibiu as pessoas de fazer isso. Isso ocorre porque os EUA usaram caminhões que transportam corpos de pessoas infectadas com COVID-19 para transportar comida também, então a comida também ficará contaminada com o vírus”.

Verdade: De acordo com o AFP Fact Check, a Agência de Alimentos de Cingapura (SFA), administrada pelo estado, divulgou no último dia 28 de julho uma declaração no Facebook dizendo que nenhuma orientação desse tipo havia sido emitida. “Estamos cientes de postagens que circulam nas redes sociais fazendo afirmações espúrias de que a mídia de Cingapura informou que frutas e produtos alimentícios exportados dos Estados Unidos, Europa e Brasil para a Ásia e África foram contaminados pelo vírus COVID-19. A SFA não emitiu nenhuma declaração desencorajando o consumo de produtos importados dos EUA, Europa ou Brasil”, disse a autoridade.

HONG KONG

Alegação: Ativista pró-democracia de Hong Kong está seguindo um "treinamento militar secreto"

Fatos: Uma imagem compartilhada milhares de vezes nas redes sociais, inclusive em um grupo pró-governo do Facebook com sede em Hong Kong, afirma mostrar a ativista pró-democracia de Hong Kong Agnes Chow segurando uma arma durante um “treinamento militar secreto”.

A legenda da publicação diz: “Agnes Chow tem a aparência de um anjo, mas na verdade ela tem recebido treinamento militar em segredo. Isso é muito perigoso”.

Verdade: De acordo com a AFP Fact Check, no entanto, a alegação é falsa. A imagem na verdade mostra a atriz japonesa Hiroe Igeta em uma cena da série de televisão japonesa “Kamen Rider Zero-One”, transmitida pela TV Asahi desde setembro de 2019. Em 13 de agosto, Chow compartilhou o boato em sua página do Facebook acompanhado da seguinte legenda: “Cérebros são incríveis. Eu queria que todos tivessem um”.

NIGÉRIA

Alegação: O presidente nigeriano Muhammadu Buhari está morto e o homem que tomou seu lugar é um sósia

Fatos: Um post que está circulando no Facebook desde o último dia 24 de julho compara duas fotos do presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, uma de uma recente viagem ao Mali e a outra de um retrato antigo, e afirma: “Verifique as características das orelhas em ambas as imagens na foto 2 para ver que eles não são o mesmo.

Como a pessoa da direita pode ser mais velha do que a da esquerda?”. “Ninguém pode recriar um homem morto sem cometer erros bobos. Buhari está morto e enterrado”, conclui o post.

Verdade: De acordo com a AFP Fact Check, o proprietário da página do Facebook responsável pela postagem é Mazi Nnamdi Kanu, britânico-nigeriano líder do Povo Indígena de Biafra (IPOB), um grupo separatista que exige independência no sul da Nigéria. Em setembro de 2017, o grupo foi declarado uma organização terrorista pelo governo de Buhari. Por coincidência, foi nesse mesmo mês que começaram a circular os primeiros rumores sobre a morte de Buhari. Em uma entrevista à AFP Fact Check, Fredrick Nwabufo, um jornalista nigeriano que escreveu extensivamente sobre Biafra, disse que o IPOB vê Buhari como um obstáculo para a realização de seus objetivos separatistas e emprega a narrativa do sósia para "deslegitimar" o governo.

Reino Unido

Alegação: Boris Johnson tuitou que “lamentava o que a Grã-Bretanha fez à Índia há 74 anos”

Fatos: Milhares de pessoas compartilharam nas redes sociais um tuíte no qual o primeiro-ministro britânico Boris Johnson supostamente disse que “lamenta o que a Grã-Bretanha fez à Índia há 74 anos”.

Verdade: O tuíte, publicado em 15 de agosto, dia que marca o 74º aniversário da independência da Índia do domínio britânico, é de uma conta falsa. O perfil, denominado “BorisUKJohnson”, usa a mesma imagem e nome da conta oficial de Johnson, “BorisJohnson”.

BRASIL

Alegação: Fotos mostram "infecções por estafilococos" causadas pelo uso de máscaras contra o coronavírus

Fatos: Uma montagem de fotos compartilhada no Facebook mostra os rostos de 5 pessoas com marcas ou erupções na pele.

As imagens são acompanhadas por uma legenda que diz: “Infecção por estafilococos devido ao uso de máscaras. Entenda porque os profissionais de saúde só usam máscaras descartáveis ​​e as trocam de hora em hora”.

Verdade: As fotos, no entanto, não mostram pessoas que tiveram problemas de pele devido ao uso de máscaras de proteção. De acordo com o Fato ou Fake, do portal G1, as imagens mostram desde uma menina com varicela –cuja foto está disponível no banco de imagens Istock– até uma mulher com rosácea –cuja foto pode ser encontrada no banco de imagens do Shutterstock. A única imagem relacionada ao uso de máscara facial é a de uma jovem enfermeira italiana, que postou a foto em seu perfil no Instagram, destacando a importância dos equipamentos de proteção e o desejo de combater o vírus.

ESPANHA

Alegação: Vídeo mostra queima de fogos dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Fatos: Um vídeo compartilhado milhares de vezes no Facebook desde o último dia 15 de agosto mostra uma queima de fogos de artifício supostamente gravada em Tóquio. De acordo com a postagem, esses são os fogos de artifício que seriam usados ​​na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, adiados por conta da pandemia do coronavírus. A legenda que segue a postagem diz: "os fogos de artifício não podem ser armazenados até 2021, então eles foram usados ​​agora."

Verdade: De acordo com a agência espanhola de checagem de fatos Maldita.es, o mesmo vídeo pode ser encontrado no YouTube, publicado em 2015 e feito com o software FWsim Fireworks Simulator.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!