O mundo das notícias é complexo, e histórias e imagens falsas costumam ser amplamente compartilhadas nas redes sociais. A equipe editorial da Blasting News identifica as informações enganosas e as fraudes mais populares toda semana para ajudá-lo a entender o que é verdade e o que é mentira. Aqui estão alguns dos boatos falsos mais compartilhados da semana.

EUA

Alegação: Foto histórica mostra médicos negros tratando membro da Ku Klux Klan

Fatos: Uusuários das redes sociais têm compartilhado uma suposta imagem histórica de médicos negros cuidando de um membro do movimento supremacista branco americano Ku Klux Klan.

Verdade: Como relata a Reuters, esta imagem foi criada para um anúncio na Large Magazine, uma revista australiana esgotada. Ele mostrava uma série de fotos com o título “Para pessoas que pensam maior do que são” e foi reconhecido com prêmios de publicidade em 2014.

EUA

Alegação: Antifas foram presos por iniciarem incêndios no Oregon

Fatos: Rumores se espalharam na internet alegando que 7 membros do movimento Antifa iniciaram incêndios no Oregon e causaram incêndios florestais devastadores. A postagem também informa que eles foram presos.

Verdade: Segundo informações da BBC, Snopes, Reuters e AFP Fact Check, os incêndios florestais no Oregon não foram provocados pelos membros do Antifa.

O Departamento de polícia de Medford confirmou à Reuters que esta alegação não é verdadeira. Eles também confirmaram isso por meio de um post no Facebook, dizendo: “Esta é uma história inventada. Não prendemos esta pessoa por incêndio criminoso, nem ninguém afiliado ao Antifa ou Proud Boys, como ouvimos ao longo do dia.

Além disso, não houve reuniões confirmadas do Antifa, o que também foi relatado”. O FBI também negou a alegação em sua página no Twitter: “Relatos de que extremistas estão provocando incêndios florestais no Oregon são falsos. Ajude-nos a impedir a disseminação de informações incorretas compartilhando apenas informações de fontes oficiais confiáveis”.

EUA

Alegação: Bill Gates é responsável pela Covid-19

Fatos: Uma foto foi amplamente compartilhada no Facebook e Twitter mostrando uma mulher não identificada segurando um pôster com o rosto de Bill Gates, cofundador da Microsoft e filantropo, e a seguinte legenda: “Quando você tenta matar todos com uma pandemia, mas acidentalmente causa um despertar em massa”.

Verdade: Como relata a Reuters, essa afirmação é falsa. A pandemia não foi planejada, conforme explicado pelo Centro de Controle de Doenças dos EUA (CDC). De acordo com o CDC, a fonte da Covid-19 provavelmente vem de um grande mercado de frutos do mar e animais vivos em Wuhan, na China. É provável que a Covid-19 tenha se espalhado de um animal para um humano, assim como a Mers e a Sars, diz a Reuters.

Portanto, não há prova de que Bill Gates estaria por trás dessa pandemia, nem de que o vírus foi criado propositalmente por alguém.

Reino Unido

Alegação: 48.000 imigrantes ilegais estão sendo alojados em hotéis de luxo no Reino Unido

Fatos: Postagens compartilhadas nas redes sociais afirmam que 6.000 veteranos do Reino Unido estão dormindo nas ruas, enquanto 48.000 imigrantes ilegais estão alojados em “Hotéis 3/4/5 estrelas” no Reino Unido.

Verdade: Como relata a Reuters, imigrantes ilegais não são permitidos no país, mas os requerentes de asilo sim. Eles recebem alojamento enquanto seu pedido está sendo processado.

O número 48.000 citado na alegação se refere aos requerentes de asilo que tinham novos contratos de alojamento em março de 2020, conforme relatado pelo Gabinete de Auditoria Nacional. Como informou a Reuters a partir do National Audit Office, 1.000 requerentes de asilo desses 48.000 vivem em hotéis todas as noites.Já o número de 6.000 veteranos do Reino Unido dormindo na rua é “infundado”, diz a Reuters, que confirmou os dados com a Royal British Legion, instituição de caridade para membros e ex-membros das Forças Armadas do país. A Royal British Legion admitiu que não existe uma fonte confiável que conte o número de pessoas sem-teto no Reino Unido que têm um histórico de serviço nas Forças Armadas.

FRANÇA

Alegação: O cordão umbilical não deve ser cortado até uma hora após o nascimento

Fatos: De acordo com o jornal francês Le Monde, uma alegação foi compartilhada milhares de vezes nas redes sociais por usuários franceses, dizendo: “O cordão umbilical não deve ser cortado antes de uma hora após o nascimento”. A alegação diz que sua fonte é atribuída a um “ex-médico”. Duas razões são apresentadas para justificar essa ideia: a primeira é que o cordão umbilical ainda é usado após o nascimento para fornecer oxigênio e nutrientes ao bebê recém-nascido, e a segunda é que pode prejudicar "a imunidade natural do bebê".

Verdade: Como relata o Le Monde, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda, desde 2014, o corte do cordão umbilical após um a três minutos "para todos os partos".

A OMS acrescenta que é necessário manter o sangue circulando entre a placenta e o bebê durante esse período para “melhorar o equilíbrio do ferro e do bebê por até seis meses após o nascimento”. Esperar uma hora para cortar o cordão umbilical pode aumentar os riscos para a mãe e o bebê de hemorragias pós-parto, a primeira causa de mortalidade materna (16%) e a mais evitável (80%), segundo a Haute Autorité de Santé (Alta Autoridade de Saúde), como relata o Le Monde.

ÍNDIA

Alegação: Vídeo mostra rosto "intacto" de Saddam Hussein, 12 anos após sua morte

Fatos: Vídeo compartilhado milhares de vezes no Facebook e no Twitter alega mostrar o rosto “intacto” do ditador iraquiano Saddam Hussein durante um trabalho de exumação ocorrido 12 anos após sua morte.

Verdade: Segundo informações da AFP Fact Check, a alegação é falsa. Em uma busca no Google é possível encontrar uma versão estendida do vídeo, publicada no YouTube em 6 de janeiro de 2007, com o título “Funeral e enterro de Saddam Hussein”.

SRI LANKA

Alegação: OMS classificou Exército do Sri Lanka como o 2° melhor do mundo em operações de emergência

Fatos: Publicações compartilhadas milhares de vezes no Facebook alegam que a Organização Mundial de Saúde (OMS) classificou o Exército do Sri Lanka como o segundo melhor do mundo em operações de emergência.

Verdade: Em nota enviada à AFP Fact Check, a assessoria da OMS afirma que a entidade “não publicou nenhum ranking do gênero”. Ainda à AFP, um porta-voz das Forças Armadas do Sri Lanka também refutou a alegação que circula nas redes sociais.

BRASIL/PORTUGAL

Alegação: Testes para Covid-19 foram comprados por países em 2017

Fatos: Publicações que circulam no Facebook e por grupos de WhatsApp afirma que a base de dados sobre comércio internacional World Integrated Trade Solutions (WITS) tem registradas compras de testes para detecção da Covid-19 feitas em 2017 por diferentes países. “A maior fraude do século! Governos de todo o mundo já sabiam, em 2018, que a Covid-19 ia ser lançada, e encomendaram milhões de testes com um ano de antecedência”, afirma a legenda dos posts.

Verdade: Em declarações à rádio CBN, o Banco Mundial, responsável junto com outras organizações pela WITS, afirma que a alegação distorce informações presentes na base de dados online.

Segundo a entidade, houve uma confusão pelo fato de no último mês de abril ter sido alterada na tabela a classificação de alguns reagentes usados em exames. Dessa forma, produtos que haviam sido comprados no passado e serviriam para detectar o novo coronavírus passaram a ter a nomenclatura “kits de testes para Covid-19”. Diante da interpretação equivocada, a WITS reclassificou no último dia 7 os produtos como “kits de testes médicos”.

Ao contrário do que sugere a alegação, o novo coronavírus só foi identificado pela comunidade médico-científica em dezembro do ano passado, e sua origem, segundo a OMS, não é fruto de manipulação em laboratório.

PORTUGAL

Alegação: Agência portuguesa de saúde diz que coronavírus não se propaga se a pessoa estiver sentada

Fatos: Publicações no Facebook compartilham um suposto folheto informativo criado pela Direção Geral da Saúde (DGS), órgão vinculado ao ministério da Saúde de Portugal, que alega que o novo coronavírus não se propaga se a pessoa estiver sentada.

Verdade: Para desmentir a alegação que circula nas redes sociais, a DGS retuitou em sua conta oficial uma postagem da Associação de Voluntários Digitais em Situações de Emergência que diz: “Não sabemos quem aproveita para andar a falsificar mensagens da DGS. Se vires esta imagem a ser partilhada, denuncia a mesma: o seu conteúdo é falso e não teve origem naquela entidade”.

AMÉRICA LATINA

Alegação: Presidente de Belarus diz que FMI tentou suborná-lo para impor medidas contra Covid-19

Fatos: Publicação difundida no Facebook alega que o presidente de Belarus, Aleksandr Lukashenko, teria dito que o FMI ofereceu a ele um suborno milionário para impor medidas contra a pandemia Covid-19.

Verdade: Segundo informações do serviço de checagem de fatos do jornal peruano La Republica, a alegação e falsa e distorce um dado da realidade. Segundo Gerry Rice, porta-voz do FMI, o que ocorreu, na verdade, é que a entidade bloqueou um empréstimo de US$ 940 milhões a Belarus, solicitado pelo país no último mês de março, devido à falta medidas para enfrentar a pandemia “de acordo com as recomendações da OMS”.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!