O mundo das notícias é complexo, e histórias e imagens falsas costumam ser amplamente compartilhadas nas redes sociais. A equipe editorial da Blasting News identifica as informações enganosas e as fraudes mais populares toda semana para ajudá-lo a entender o que é verdade e o que é mentira. Aqui estão alguns dos boatos falsos mais compartilhados da semana.

EUA

Alegação: Campeões do Super Bowl recusaram convite para ir à Casa Branca

Fatos: Após a vitória do Tampa Bay Buccaneers sobre o Kansas City Chiefs no Super Bowl LV, o presidente dos EUA, Joe Biden, convidou os novos campeões para a Casa Branca. Uma postagem compartilhada mais de duas mil vezes no Facebook diz: “Os campeões do Super Bowl recusam o convite para a Casa Branca, afirmando que a Casa Branca foi ROUBADA. OK, BOM, ENTÃO NÃO SOU LOUCO”.

Verdade: Como relatou a Reuters, a afirmação escrita na postagem é semelhante à manchete de um artigo satírico publicado pelo site Tater Force One. A seção Sobre Nós do site diz: “tudo neste site é ficção. Não é uma mentira e não é uma notícia falsa porque não é real. Se você acredita que é real, você deve ter sua cabeça examinada”. Nenhuma notícia confiável foi encontrada dizendo que os Buccaneers recusaram convite da Casa Branca, relata a Reuters.

EUA

Alegação: Vacina da Covid-19 é um "sistema operacional" projetado para programar humanos e hackear suas funções biológicas

Fatos: Usuários das redes sociais compartilharam várias postagens dizendo que “as vacinas da Covid-19 vacinas são um 'sistema operacional' projetado para programar humanos e hackear suas funções biológicas”.

As publicações também acusam o fundador da Microsoft Bill Gates de ser uma das pessoas por trás desse suposto complô.

Verdade: Como relatado pela Reuters, a afirmação é falsa. A Moderna, uma das empresas que desenvolveram vacina contra a Covid-19, comparou de forma metafórica a ciência do mRNA a um “sistema operacional”. Em seu site, a Moderna explica: “Reconhecendo o amplo potencial da ciência do mRNA, nos propusemos a criar uma plataforma de tecnologia de mRNA que funcione de forma muito semelhante a um sistema operacional em um computador”.

EUA

Alegação: Imagem mostra o presidente dos EUA, Joe Biden, dormindo no Salão Oval

Fatos: Uma imagem foi compartilhada nas redes sociais mostrando o presidente dos EUA, Joe Biden, dormindo no Salão Oval. A legenda diz: “América em declínio. O decrépito vigarista trabalha 5 horas por dia. Trocamos um cavalo de corrida por alguém que pertencia ao pasto ou que foi mandado para o abate há muito tempo.

Nada diz melhor que jogamos a toalha do que esta imagem nauseante, o 'Comandante-em-Chefe' não consegue nem ficar acordado”.

Verdade: Segundo a Reuters, a imagem foi manipulada digitalmente. A cabeça de Biden foi substituída por uma imagem de 2011. Uma busca reversa na internet mostra que a imagem original é de uma foto de Joe Biden durante um discurso do então presidente Barack Obama sobre redução do déficit, no qual ele “fechou os olhos por um longo período”, disse a CBS na época.

EUA

Alegação: Obrigatoriedade do uso de máscaras é uma violação direta do Código de Nuremberg

Fatos: Usuários das redes sociais compartilharam uma alegação de que a obrigatoriedade do uso de máscaras é uma violação direta do Código de Nuremberg. O texto é acompanhado por uma suposta reprodução do artigo 6, seções 1 e 3, do Código de Nuremberg, que diz o seguinte: “Os líderes devem estar cientes de que é crime de guerra impor máscaras aos cidadãos de uma nação e impedir seu acesso a alimentos, saúde, transporte ou educação se eles não obedecerem”.

Verdade: O texto reproduzido nas publicações não foi tirado do Código de Nuremberg, mas parece ter sido baseado, em parte, na Declaração Universal da Unesco sobre Bioética e Direitos Humanos de 2005. No entanto, tanto o Código de Nuremberg quanto a Declaração Universal da Unesco sobre Bioética e Direitos Humanos não se referem ao uso de máscaras durante uma pandemia. Como relata a Reuters, a obrigatoriedade do uso de máscaras não viola o Código de Nuremberg porque não está relacionada a experimentos em humanos ou pesquisa médica, como o código proíbe. O uso de máscaras é uma medida de prevenção de doenças e é aprovada pelo Regulamento Sanitário Internacional, relata a Reuters.

França/Itália

Alegação: Máscaras foram “banidas” das escolas pelo Conselho de Estado da Itália

Fatos: O site de notícias francês France Soir compartilhou um artigo com o título: “Itália: máscaras proibidas na escola, decide o Conselho de Estado”.

O subtítulo do artigo afirma: “Efeito dominó chegando? O presidente Frattini, da Seção III do Conselho de Estado italiano, emitiu uma decisão condenando o uso de máscaras por menores nas escolas”.

Verdade: O site France Soir compartilhou um trecho traduzido para o francês de um decreto aprovado pelo Conselho de Estado. Neste caso, os demandantes são a família de uma menina de Bolzano, no norte da Itália. Eles pediram a anulação de uma disposição do governo que estende o uso obrigatório de máscaras faciais nas escolas italianas a crianças menores de 12 anos. O Conselho de Estado apenas decidiu a favor da família desta menina, que foi autorizada a não usar máscara nas aulas por se encontrar em condições especiais. No entanto, isso não se aplica a todas as crianças e escolas na Itália.

França

Alegação: Lei prevê multa de 1.500 euros a quem usar véu em público

Fatos: Na França, a Assembleia Nacional vem estudando uma “lei do separatismo” desde 1º de fevereiro de 2020, para introduzir medidas de controle contra o islamismo radical. Uma publicação, compartilhada quase 19.000 vezes nas redes sociais afirma que esta lei vai introduzir uma multa de 1.500 euros a quem usar um véu em público.

Verdade: O Ministério do Interior e o Comitê Interministerial para a Prevenção do Crime e da Radicalização (CIPDR) negaram esse boato. A conta oficial do Twitter do Ministério do Interior postou: “#FakeNews.

NÃO, o projeto de lei dos Princípios Republicanos não introduzirá multa de € 1.500 pelo uso de véu em espaços públicos, nem sua proibição. Durante a análise do texto em uma comissão especial da Assembleia Nacional, emendas foram apresentadas, mas foram rejeitadas”.

Coreia do Sul

Alegação: Vídeo mostra jovem sofrendo efeitos colaterais graves após receber vacina da Covid-19

Fatos: Vídeo compartilhado nas redes sociais alega mostrar uma adolescente sofrendo efeitos colaterais graves após tomar uma dose da vacina contra a Covid-19.

A legenda das publicações afirma: “ela está tendo convulsões e dispneia severa”.

Verdade: Uma busca reversa no Google mostra que o vídeo foi publicado originalmente em 21 de março de 2015, no YouTube. Reportagem da Radio Free Europe/Radio Liberty (RFE/RL) de 20 de março de 2015 afirma que a jovem que aparece no vídeo foi internada em um hospital na cidade de Zhanaozen, no Cazaquistão, após ser vacinada contra o sarampo.

Brasil

Alegação: Facebook admite erro e diz que a hidroxicloroquina é eficaz contra Covid-19

Fatos: Publicações compartilhadas nas redes sociais alegam que o Facebook admitiu ter errado ao tirar do ar postagens sobre a hidroxicloroquina e reconheceu a eficácia do remédio contra a Covid-19. As postagens vêm acompanhadas de um print de um texto publicado pela colunista do portal R7 Patrícia Lages e intitulado “Facebook admite que ‘cometeu erro’ ao censurar hidroxicloroquina”.

Verdade: O boato compartilhado nas redes sociais surgiu após o Facebook acatar parecer de seu Conselho de Supervisão –comitê independente criado em 2020 para avaliar práticas da empresa–, que sugeriu que a plataforma colocasse novamente no ar uma publicação sobre hidroxicloroquina que havia sido excluída. A decisão, no entanto, refere-se apenas a um vídeo em francês, publicado em outubro de 2020. O Facebook, portanto, não admitiu ter errado ao tirar do ar outros conteúdos relacionados à hidroxicloroquina e tampouco reconheceu a eficácia do medicamento contra a Covid-19. Ao contrário do que afirma o boato, uma série de estudos apontam a ineficácia da hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com Covid-19.

Portugal

Alegação: Anticorpos contra a Covid-19 alteram a cor do leite materno

Fatos: Imagem compartilhada no Facebook mostra duas bolsas contendo leite materno, uma com a coloração normal e a outra com um tom esverdeado.

As publicações alegam que o leite com a coloração esverdeada foi retirado de uma mãe diagnosticada com Covid-19 e que esta alteração “é resultado dos anticorpos que ela passou a produzir para proteger seu filho de uma possível infeção”.

Verdade: Em declaração ao serviço de checagem de fatos do jornal português Observador, a coordenadora de Neonatologia do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central (CHULC), Teresa Tomé, afirma que “não há fundamento nenhum para associar a infeção da Covid-19 a uma alteração da cor do leite”.

Espanha

Alegação: Vídeo mostra grupo de “imigrantes ilegais” roubando scooter de entregador nas Ilhas Canárias

Fatos: Vídeo compartilhado no WhatsApp mostra um entregador de comida tendo sua scooter roubada por um grupo de assaltantes.

As mensagens alegam que as cenas ocorreram nas Ilhas Canárias, na Espanha, e que os ladrões eram “imigrantes ilegais”.

Verdade: Ao contrário do que afirmam as mensagens compartilhadas no WhatsApp, o vídeo foi gravado na cidade de Nápoles, na Itália, na madrugada do último dia 2 de janeiro. Segundo noticiado pela imprensa italiana na ocasião, a vítima do roubo foi o entregador Giovanni Lanciato, de 50 anos. No dia 4 de janeiro, seis pessoas foram detidas por suspeita de envolvimento no crime –dois adultos e quatro menores de idade. A nacionalidade dos suspeitos, no entanto, não foi informada.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!