Nesta última quarta-feira, 2 de janeiro, uma mochila suspeita mobilizou equipes do Esquadrão Antibombas do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar. O caso ocorreu no Clube do Exército, no Rio. Além do Bope, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Civil também foram acionados.

Segundo informações, em momento anterior, o presidente Jair Messias Bolsonaro esteve no local para a cerimônia de posse do novo ministro da Defesa, o general Fernando Azevedo e Silva.

Publicidade
Publicidade

Segundo a Polícia Militar, a operação para desvendar o mistério terminou por volta das 19h, após a realização de um raio-x da mochila suspeita.

Policiais militares do Bope disseram que na mochila continha um notebook e material para instalação de internet.

Ameaça terrorista e contra o governo

Recentemente, o Bope também foi acionado para tratar de uma Bomba que foi colocada em frente à igreja Santuário Menino Jesus, em Brazlândia, Distrito Federal.

Na ocasião, o grupo intitulado Maldição Ancestral foi apontado como responsável pela bomba. Além do mais, o grupo foi investigado devido à publicação em um site sobre uma possível ação na cerimônia de posse do presidente Jair Bolsonaro. A Polícia Civil enviou alerta à Polícia Federal a fim de iniciar uma investigação sobre o caso. Entretanto, o grupo intitulado Sociedade Secreta Silvestre assumiu a autoria da bomba.

A Polícia Civil apontou que foram colocados 5 kg de pólvora no local.

Publicidade

O episódio ocorreu na madrugada do Natal, 25 de dezembro. Segundo informações do portal Metrópoles, a polícia acredita que o acionamento da bomba simplesmente falhou, pois havia marcação de data e hora para a detonação. Além do mais, houve uma assimilação por parte da polícia entre o artefato encontrado em frente à igreja e outro próximo à Rodoviária do Plano Piloto.

O presidente Jair Bolsonaro foi ameaçado durante campanha eleitoral e também após resultado eleitoral.

Bolsonaro chegou a ser alvo de uma facada na região abdominal e ainda se recupera da lesão. A cerimônia de posse do político foi realizada com novo e forte esquema de segurança. Jair Bolsonaro assinou termo de posse no último dia 1° de janeiro. O político estava acompanhado de sua mulher, Michelle Bolsonaro, e de um dos seus filhos, o vereador pelo Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro.

Leia tudo