O Presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a falar em alarmismo em relação ao coronavírus. Neste sábado (22), o mandatário foi entrevistado pela CNN Brasil e disse que o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, foi exagerado momentos atrás em seus discursos a respeito das medidas que deveriam ser feitas para conter o contágio do Covid-19.

"O Mandetta, num primeiro momento, eu estava achando que ele estava exagerando. "O Mandetta, num primeiro momento, eu estava achando que ele estava exagerando", disse Jair Bolsonaro.

O que disse Luiz Henrique Mandetta

Na última sexta-feira, o Ministro da Saúde deu informações que foram vistas como fortes pelos brasileiros. De acordo com Mandetta, o Brasil tem se portado bem no combate contra o coronavírus, no entanto ainda segundo o Ministro, o sistema de saúde brasileiro poderá sofrer um grande impacto já no mês de abril. Segundo ele, o número de infectados por conta do Covid-19 pode ser grande em comparação ao número de leitos disponíveis no país.

O que Jair Bolsonaro disse a respeito da frase de Mandetta

O Presidente da República Jair Bolsonaro não crê em colapso no sistema de saúde brasileiro. Ainda em entrevista à CNN, o mandatário disse que tem um ponto de vista diferente do Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta. Segundo Jair Bolsonaro, o nosso sistema de saúde não passará por um colapso.

"Não acredito. O que estamos fazendo é alongar a curva de infecção.

"Não acredito em colapso, a curva vai aumentar", disse Jair Bolsonaro.

Medidas para combater o coronavírus divulgadas por Jair Bolsonaro

Na manhã deste sábado, o Presidente da República Jair Bolsonaro usou as suas redes sociais para divulgar novas medidas (um total de 28) que o Governo fará para tentar combater o coronavírus. Algumas dessas medidas são relacionadas à educação. Segundo a publicação do mandatário, o Governo vai dispor de R$ 450 milhões para que as instituições de ensino comprem materiais básicos de higiene.

Na área da saúde, Bolsonaro também informou que o Governo fará o cadastro de mais cinco mil médicos para ajudar no combate ao Covid-19.

Outras medidas como a proibição de entrada de estrangeiros no país, adiamento das visitas nos presídios brasileiros e também o ensino à distância ao invés de aulas presenciais também apareceram na lista divulgada pelo Presidente da República.

Outras medidas divulgadas hoje por Bolsonaro já estavam em pauta há pouco tempo como a iniciativa do Ministro da Economia, Paulo Guedes, de dispor R$ 15 bilhões para ajudar trabalhadores autônomos e informais pelos próximos três meses.

Não perca a nossa página no Facebook!