O número de casos de COVID-19 entre as autoridades que viajaram para os Estados Unidos na comitiva do presidente Bolsonaro subiu para 23. De acordo com o site UOL, no Palácio do Planalto foram identificados outros três casos positivo para o vírus, entres os infectados estão o ministro de Minas e Energia, Beno Albuquerque, o general Augusto Heleno e Fábio Wajngarten, chefe da Secretaria de comunicação. Durante entrevista concedida do pátio do Palácio da Alvorada, Bolsonaro confirmou que seu ajudante de ordens, Major Cid, do Departamento de Segurança Presidencial, e o chefe do Cerimonial, Carlos França também estão com o coronavírus.

O presidente já realizou duas vezes o teste para coronavírus e os dois exames deram negativo. O presidente afirmou que não mudará sua rotina de trabalho no Palácio do Planalto, e que, caso necessário, realizará novos testes para monitorar sua Saúde.

Justiça pede lista de infectados em comitiva de Bolsonaro

De acordo com o site G1, a Justiça Federal no Distrito Federal determinou que o Hospital das Forças Armadas (HFA) que forneça à Secretaria de Saúde do DF os nomes de todas os diagnosticadas com o novo coronavírus.

O hospital, onde parte da comitiva de Bolsonaro realizou os testes, deverá fornecer a listas dos pacientes e seus respectivos boletins médicos. Segundo informações publicadas pelo G1 na última sexta-feira dia (20), a ação que exige a divulgação da lista de pacientes, foi movida pela Procuradoria-Geral do Distrito Federal (PGDF). O Ministério da Defesa, responsável pela unidade hospitalar do DF, não se manifestou sobre a decisão da justiça até o presente momento.

Na determinação, a juíza Raquel Soares Chiarelli, da 4ª Vara Federal Cível do DF, estabeleceu multa fixa de R$50 mil por paciente os quais as informações solicitadas forem negadas pelo hospital. O valor estipulado poderá ser cobrado pessoalmente ao diretor do HFA, que também pode responder em nível administrativo penal.

Importância das informações

Ainda de acordo com o site G1, tais informações, segundo a juíza, são necessárias para a definição de políticas públicas para o combate urgente da pandemia de coronavírus.

O surto vem castigando pessoas no Brasil e no mundo. As recomendações do Ministério da Saúde seguem no foco da higienização das mãos, isolamento social e atenção maior com os idosos e pessoas com doenças secundárias, por fazerem parte do grupo de risco. Na última sexta-feira (20), Bolsonaro afirmou que realizaria um terceiro teste. "Eu estou bem. Fiz dois testes, talvez faça mais um até, talvez, porque sou pessoa que tem contato com muita gente. Talvez receba orientação médica", afirmou o presidente.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!