Na segunda-feira (15), a Polícia Federal abriu um inquérito com o objetivo de investigar Jair Renan Bolsonaro, filho “04” do presidente Jair Bolsonaro. A apuração mira uma empresa de Jair Renan e a atuação desta junto ao governo federal. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Em novembro do ano passado, a revista Veja revelou que o filho de Bolsonaro tinha iniciado na carreira de empresário atuando para conseguir uma audiência em um ministério para discutir interesses comerciais de um de seus patrocinadores.

Um mês antes de fazer a intermediação da reunião, o jornal O Globo mostrou que Renan e o sócio ganharam um carro elétrico da empresa.

Segundo informações do jornal, o carro é avaliado em R$ 90 mil.

Em dezembro, o jornal Folha de S. Paulo mostrou que a cobertura completa da festa de inauguração da empresa de Renan foi feita de graça por uma produtora de conteúdo digital e comunicação corporativa que presta serviços ao governo federal.

MPF solicita abertura de inquérito contra filho de Boslonaro

O inquérito que foi aberto para investigar Jair Renan foi solicitado pelo Ministério Público Federal, que recebeu denúncia contra o filho mais novo de Bolsonaro. A denúncia feita por parlamentares da oposição ao governo aponta que o 04 pode ter praticado suposta lavagem de dinheiro e tráfico de influência.

A empresa que está na mira da PF é a Bolsonaro Jr Eventos e Mídia, que foi criada no fim de 2020.

Quando a empresa foi inaugurada, Jair Renan postou fotos da festa e foi possível ver a presença de 2 peças de mármore que fazem parte da decoração do escritório. Na postagem, o filho do presidente marcou a empresa Gramazini, que é voltada para o ramo de construção e mineração. Inclusive um dos sócios desta empresa esteve presente na festa de inauguração.

Allan Lucena, que é sócio de Renan, aparece em um vídeo saindo de um carro que ele afirmou ter sido dado pelas empresas “Gramazine e grupo WK”. Em outro vídeo que foi publicado por uma das empresas, o filho do presidente aparece caminhando no pátio de uma empresa de granito, no Espírito Santo. No fundo é possível ver um carro semelhante ao que foi doado para o sócio de Renan.

PF apura denúncia contra filho de Bolsonaro

A PF analisa a denúncia feita contra Jair Renan. Segundo a denúncia, o filho do presidente teria possibilitado que o grupo empresarial conseguisse realizar 2 reuniões com o Ministério do Desenvolvimento Regional a fim de conversar sobre um projeto de construção de casas populares.

O ministério afirmou que as reuniões foram realizadas após Jair Fonseca, assessor especial de Bolsonaro, solicitar.

O filho de Bolsonaro e seu sócio participaram das reuniões ao lado do grupo empresarial, em novembro de 2020.

Em nota, o ministério informou que "propostas de sistemas construtivos inovadores para a construção habitacional precisam ser avaliadas" e que o filho do presidente participou da reunião como ouvinte e que ele conhecia previamente o projeto.

A PF tem um mês para entregar um relatório ao MPF com as conclusões das primeiras diligências que serão realizadas.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Negócios
Seguir
Siga a página Corrupção
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!