A jornalista Leda Nagle foi o centro de comentários nas redes sociais recentemente. Isto porque, ela divulgou na web uma notícia falsa acerca de um falso plano de que Lula estaria orquestrando com o STF para matar o presidente da República, Jair Bolsonaro. Diversos meios de checagem fizeram a apuração, dentre eles o portal UOL, que verificou que a notícia compartilhada pela jornalista não é verdadeira.

Leda Nagle compartilha fake news

A jornalista compartilhou a notícia que foi postada por um perfil atribuído a Paulo Gustavo Maiurino, o novo diretor-geral da PF (Polícia Federal).

A jornalista teria lido a mensagem do perfil do diretor durante uma live que Leda fez em seu canal oficial no YouTube. Entretanto, o problema é que a informação lida por ela foi retirada de um perfil falso do diretor da PF. A autoridade assumiu o comando da PF no início de abril em decorrência da troca feita por Bolsonaro de 6 ministros do governo. O novo ministro da Justiça e Segurança Pública, Aderson Torres, foi quem escolheu Maiurino para substituir Rolando Souza.

A mensagem lida por Nagle, no último sábado (17), diz que o delegado divulgou uma nota onde dizia que o ex-presidente Lula em conjunto com ministros do Supremo estavam com a ideia de matar o presidente. A nota dizia que por enquanto não podia falar muito acerca do assunto, e que logo as pessoas saberiam.

Além disso, afirmou que para aqueles que quisessem achar que a notícia não era verdadeira era para ficar à vontade, mas destacou que nos próximos dias as pessoas saberiam de várias coisas. Ao final da nota pediu para Deus abençoar a todos.

Após a leitura da fake news, Leda ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter e ganhou diversas críticas na web por espalhar um boato.

Nagle pede desculpa por disseminar notícia falsa

Após a repercussão negativa da divulgação da fake news, a jornalista pediu desculpas publicamente por meio de uma nota em suas redes sociais. Ela afirmou que a mensagem falsa foi lida em um grupo restrito que ela nomeou de “Clube da Notícia”, onde ela faz o debate de assuntos para aqueles que são assinantes do grupo.

A jornalista firmou que o grupo participa ativamente do que acontece e todos compartilham e discutem assuntos que estão sendo propagados na web. Ela disse que apenas leu uma mensagem de um tuíte que tinha viralizado. A jornalista afirmou que um dos membros do grupo agiu de má-fé e viralizou um trecho de uma fala sua de 2 minutos sem antes ela voltar a checagem para verificar se o perfil era verdadeiro. Ela disse que agora que todos já estão cientes do ocorrido e que se trata de uma notícia falsa, pediu para que todos a desculpassem pela situação.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!