Um homem foi preso em flagrante pela Polícia no último sábado (6) suspeito de atirar contra a namorada dentro de um motel em Porto Alegre. De acordo com a polícia, após disparar contra a vítima, o homem colocou-a em seu automóvel e levou-a para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região, alegando que o casal teria sido vítima de um suposto assalto. A vítima, que foi ferida na região da virilha, foi encaminhada em estado grave ao Hospital Cristo Redentor.

Ainda no sábado, no hospital, a mulher teria mencionado aos policiais que não teria se tratado de um assalto, e sim um tiro disparado pelo companheiro, acidentalmente, no interior de um motel em Porto Alegre.

Depois de confirmar a versão com o autor do disparo, o homem foi conduzido até uma delegacia, onde foi autuado em flagrante por lesão corporal com dolo eventual, porte ilegal de arma e também por receptação, pois a arma que estava em posse do agressor seria roubada.

Vítima revela que o homem atirou de propósito

Após a prisão do homem, e depois de conversar com seu irmão, a vítima prestou um novo depoimento e disse que o homem atirou propositalmente contra ela e não teria contado a verdade antes por conta de estar com medo dele.

De acordo com a mulher, quando os dois estavam dentro do carro a caminho do motel, o homem ainda atirou uma vez para o alto, e deu mais um tiro em direção a ela, mas não a acertou. Segundo ela, o homem só queria assustá-la.

Ao chegar ao motel, o homem atirou novamente contra ela, e o tiro acertou sua virilha, e a bala saiu pela sua nádega. A vítima ainda segue internada no hospital e seu estado de saúde é considerado estável pelos médicos da unidade.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Rodrigo Reis, o casal já possuía o relacionamento a um certo tempo e teriam viajado do litoral norte com o intuito de aproveitar uma festa em Porto Alegre, e, no caminho, os dois já haviam se desentendido.

Após o término da festa, os dois resolveram ir a uma segunda festividade, e ele continuava ameaçando a companheira. "Ele chegou a obrigar a mulher a entrar em um posto para compara bebidas para ele e disse a ela que era para ela ficar em silêncio, caso contrário ele a mataria", comenta o delegado.

O delegado Reis ainda menciona que contra o homem não existe nenhum registro de ocorrência realizado contra ele pela mulher, mas ele possui antecedente criminal também por lesão corporal ocorrido no ano de 2008. Segundo os agentes, o homem continua detido e o caso será entregue à delegacia da mulher. Com o novo depoimento prestado pela vítima, o suspeito também foi autuado por tentativa de feminicídio.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!