A noite da última quarta-feira (6) foi marcada por uma grande tempestade no Rio de Janeiro, que acabou deixando a cidade em sinal de alerta.

Por volta das 20h30, a chuva já começou a dar sinais dos possíveis estragos que estariam por vir, com ventos fortes, chegando ao estado de crise por volta das 22h. Com o caos, enchentes tomaram conta de diversos bairros cariocas e, com o intenso volume de água, tragédias acabaram tirando a vida de seis pessoas. Carros e casas também foram atingidos pelas enchentes.

Publicidade

Queda de barreira atingiu ônibus e causou mortes

O Rio de Janeiro amanheceu em estado de calamidade nesta quinta-feira (7), com quedas de árvores, ruas ainda alagadas e desmoronamento de barreiras. Na avenida Niemeyer, próximo ao Vidigal, na zona sul da cidade, um ônibus acabou sendo atingido por um deslizamento de terra que levou à morte de duas pessoas --o segundo corpo foi resgatado por volta das 13h50 desta quinta-feira.

A primeira vítima, que não teve a identidade revelada, estaria sentada em um banco atrás do motorista, que conseguiu escapar com vida da tragédia, conforme informou o G1.

A força do deslizamento de terra foi tanta que o ônibus chegou a ser lançado contra uma mureta da rodovia e acabou parando sobre uma ciclovia.

Além da alta quantidade de terra que caiu sobre o veículo, uma árvore dificultou a ação dos bombeiros para resgatar a segunda vítima. Além da força da equipe de resgate, duas retroescavadeiras estão sendo usadas para que o trabalho possa ser concluído o mais breve possível.

Estragos causados pela tempestade

Além do acidente com o ônibus na avenida Niemeyer, outro veículo acabou sendo atingido por deslizamento de terra em outro ponto da cidade.

Publicidade

Porém, de acordo com o prefeito Marcelo Crivella, que conversou com o G1, a situação de maior gravidade até o momento seria com o primeiro desmoronamento, no qual os bombeiros estariam tentando o resgate de possíveis vítimas.

Barra de Guaratiba, Rocinha e Vidigal também foram afetados pela forte chuva. Pelo menos quatro pessoas teriam morrido nessas localidades.

Às 10h45, uma menina foi resgatada com vida do alto do Vidigal. Ela foi levada de helicóptero e o estado de saúde dela não foi informado.

A previsão para esta quinta-feira ainda é de chuva na cidade do Rio de Janeiro, porém, sem tanta intensidade quanto na noite desta quarta-feira.

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, decretou luto oficial de três dias por causa das mortes.