Um segurança de uma unidade do hipermercado Extra na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, é suspeito de ter causado a morte na tarde desta quinta-feira (14) de um jovem de 19 anos de idade por conta de um golpe de “mata-leão“ aplicado dentro do estabelecimento. O jovem, que foi imobilizado pelo profissional do mercado, morreu depois de ter sofrido pelo menos duas paradas cardiorrespiratórias.

Segundo informações repassadas pela equipe terceirizada de vigilância contratada pelo hipermercado, o jovem antes de ser imobilizado pelo profissional teria agredido o segurança e tentado roubar sua arma.

Essa mesma versão chegou a ser confirmada pela assessoria de imprensa do hipermercado, mas a Polícia ainda não confirmou a informação repassada.

No momento do ocorrido, clientes que estavam fazendo compras no local filmaram toda a ação do segurança que na hora aplicou o estrangulamento no rapaz utilizando um golpe conhecido como “mata-leão”. No momento em que o segurança estava com o rapaz imobilizado, as pessoas que acompanhavam a cena teriam pedido para que ele soltasse o rapaz, mas outros membros da equipe terceirizada apenas tentavam impedir as gravações que ali estavam sendo feitas.

Jovem é socorrido e encaminhado a hospital

O Corpo de Bombeiros foi acionado para tentar socorrer o jovem e ao chegar no local encontraram o rapaz inconsciente.

Ele foi encaminhado rapidamente ao Hospital Lourenço Jorge, mas após sofrer duas paradas cardiorrespiratórias acabou vindo a óbito.

O segurança que aplicou o golpe no rapaz foi levado à 16º DP e após realizar um pagamento estipulado no valor de R$ 10 mil de fiança ele foi liberado, mas responderá por homicídio culposo, sem a intenção de matar.

Em depoimento na delegacia, o segurança mencionou que não aplicou o golpe no rapaz, e que apenas ficou fazendo peso com o corpo em cima dele para que ele ficasse imobilizado.

Em entrevista, o advogado da empresa terceirizada mencionou que em nenhum momento o segurança teria aplicado algum tipo de golpe de “mata-leão” no rapaz.

De acordo com a nota emitida pelo hipermercado Extra, a rede é contra a qualquer conduta violenta por parte de seus funcionários ou profissionais terceirizados pela empresa. A rede de mercados ainda diz que irá ajudar a polícia para que todos os fatos sejam esclarecidos o mais rápido possível.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!