O soldado da Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro Daniel Henrique Mariotti estava passando pela Linha Amarela, no último sábado (5), quando foi baleado na cabeça, não resistiu aos ferimentos e acabou falecendo. Esta foi a primeira morte de PM no Rio de Janeiro em 2019. Todos os anos, dezenas de policiais são assassinados no estado.

A história de Daniel chama ainda mais a atenção por causa da mensagem que ele enviou ao pai horas antes de ser morto. Na mensagem, ele diz ao pai que está escutando um louvor e que vieram à lembrança momentos de sua infância e tudo o que passou ao lado do pai. Em seguida, ele agradece ao pai pelo tudo que fez e ainda fazia por ele.

"Queria te agradecer por tudo", diz.

O policial de 30 anos tinha um filho de três e disse na mensagem que depois que se tornou pai percebeu o tamanho do amor que um pai tem pelo filho. Mariotti elogia o pai e diz que ele foi e é o melhor que poderia ser. Logo depois, ele diz que ama muito o pai e espera que o filho sinta por ele o amor que sinto por você.

O garoto de três anos, com toda a certeza, vai amar o pai. Mas com essa idade dificilmente recordará alguma lembrança ao lado do homem que o colocou no mundo.

O assassinato

O comando do 22º Batalhão da Polícia Militar (BPM), localizado na maré, informou que policiais militares se descolaram até a Linha Amarela quando viram criminosos armados na altura do viaduto da Avenida dos Democráticos.

Os criminosos tentavam roubar veículos no local. Um carro roubado foi encontrado em Manguinhos horas depois do assalto. Ao verem os policiais, os criminosos partiram para o ataque e começaram a atirar nos agentes.

O soldado Mariotti foi ferido na cabeça. Ele chegou a ser levado ao Hospital Geral de Bonsucesso, foi atendido pelo setor de emergência, passou por cirurgias, mas não resistiu aos ferimentos e acabou falecendo.

O corpo de Mariotti foi velado e enterrado no Jardim da Saudade, em Sulacap, localizado na zona oeste do Rio de Janeiro. Familiares, amigos e policiais militares estiveram presentes. A PM procura os assassinatos e oferece recompensa de R$ 5 mil a quem passar informações ao disque-denúncia.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) postou mensagem de condolência no Twitter.

Em sua postagem, o presidente diz que o massacre do cidadão de bem e a caça aos agentes de segurança sempre foram tratados apenas como números. O presidente também falou em vitória do bem contra o mal com o Judiciário e o Executivo trabalhando juntos. O governador do estado, Wilson Witzel, lamentou a morte por meio de nota.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!