Vivemos em um mundo onde pessoas resolveram padronizar tudo, como se fosse possível padronizar aspectos culturais, religiosos e até mesmo físicos. Em uma sociedade onde a beleza é colocada, sim, na mesa, está cada vez mais difícil encaixar-se dentro do que é imposto. Vemos milhares de jovens sofrendo preconceito por, por exemplo, estarem acima do peso. A obesidade, muitas das vezes, é um problema de saúde [VIDEO], visto que muitas pessoas têm engordado por pré-disposição genética ou até mesmo por doenças específicas que fazem com que o metabolismo não funcione de maneira adequada.

Há casos em que a obesidade é fruto de outras doenças como, por exemplo, a depressão, que assola também grande parte da população.

Ainda assim, tendo o motivo biológico como causa do aumento de peso, a sociedade tem grande participação no aumento de pessoas obesas, a vida sedentária e a falta de exercícios também contribuem para uma população mais "gordinha". Em um universo onde os dias parecem mais curtos e as horas parecem voar, não tem restado tempo para uma dieta saudável ou sobrado dinheiro para investir em uma academia. O pouco tempo que resta livre, em um dia tão corrido, as pessoas optam por descansarem e até mesmo comerem [VIDEO], e mais uma vez, sem exercitarem-se.

Quando se decide tratar o "problema", não se encontra solução, pelo menos não vinda do governo que nos assegura a Saúde como um direito. Dificilmente há agilidade e possibilidades para uma consulta da qual se saia com uma dieta para seguir, ou, nos casos mais extremos, onde se consiga uma operação.

Se essas possibilidades vierem a acontecer, certamente será depois de passar dias, meses, quem sabe anos esperando por um serviço que deveria ser prioridade: a saúde pública. Diante disso, a população segue, ou corrida demais, sem tempo para dedicar-se mais a saúde ou sedentária demais para fazer qualquer tipo de exercício físico.

Cabe a cada um se conscientizar sobre o que está vivendo, tentar buscar a causa do aumento de peso, investir em alimentação saudável, praticar atividades físicas. Mas se a obesidade não está relacionada a um problema de saúde e você se sentir bem com seu corpo, seja feliz e não ligue para uma sociedade que quer apontar quem você deve ser, sendo que cada um deve viver da forma que lhe convém.

Seguir padrões não te faz ser uma pessoa melhor ou mais saudável, muito pelo contrário, te faz perder sua identidade. A primícia de uma boa vida é a saúde e se tudo lhe corre bem biologicamente, o seu físico será apenas um detalhe.