O dinheiro é fundamental nas relações comerciais, sem ele não é possível fazer Negócios. Muitos são seus nomes (bufunfa, tutu, trocado) e significados. Há nomes diferentes de moeda em outras partes do mundo, por exemplo dólar nos Estados Unidos, euro na Europa, libra esterlina no Reino Unido e franco suíço na Suíça.

Os termos "dinheiro" e "moeda" ambos têm origem latina. O termo "dinheiro" deriva de denarius e "moeda" vem de moneta originária da deusa Juno Moneta, conhecida como a deusa protetora dos recursos financeiros, e também de numisma, que vem do grego, que significa moeda, e por isso a ciência que estuda a moeda é denominada numismática.

Desde o início dos tempos em todos os lugares do mundo, o homem determinava algo como moeda de troca (escambo). Já foram utilizados o sal, o gado, o algodão e em até anos antes de cristo já eram usados a prata, cobre e o ouro. Hoje em dia utiliza-se papel moeda cartões de débito e crédito, a criptomoeda bitcoin, e cada vez mais as transações bancárias são feitas no universo online.

No documentário "A Ascensão do Dinheiro", Nial Ferguson explica que o dinheiro surgiu na Mesopotâmia, onde foram criadas as primeiras instituições bancárias, com os Medici na Itália e o financiamento dado por eles para o nascimento do movimento Renascentista.

Com o crescimento em escala das operações, reduziu os riscos do crédito.

Em seguida ele explica a criação do mercado de títulos que financiavam os gastos excessivos dos governos e após o surgimento do comércio de capitais com a criação da primeira bolsa de valores na Holanda e como essas financiavam os projetos econômicos dos Estados. O autor explica a criação da primeira bolha especulativa que gerou a Revolução Francesa.

A importância de conhecer a história do dinheiro

Atualmente com a globalização tudo que acontece em algum lugar do mundo pode afetar os demais de alguma forma, uma vez que as parcerias comerciais entre os países afetam as relações econômicas que consequentemente altera os valores das moedas e interferem nas relações financeiras afetando a economia interna, poder de compra e investimento.

No Brasil, são poucas as pessoas com educação financeira e muitas pessoas endividadas, refém dos juros altíssimos de empréstimos e do uso do cartão de crédito como se fosse uma renda extra.

A maioria das pessoas endividadas não consegue sair e muito menos fazer um planejamento para investir para dias difíceis.

Diante da falta de conhecimento e da ausência da Educação financeira, as pessoas não pesquisam sobre a credibilidade das empresas e muito menos sobre seus balanços financeiros, pois não temos uma cultura de primeiro pagar a si, procurar realizar compras à vista e preocupar com uma crise futura.

Siga as suas paixões.
Fique atualizado.

A compreensão sobre a história do dinheiro é importante para entender o que aconteceu e o que acontece hoje para fazer escolhas mais assertivas sobre gastos, investimentos, pesquisar sobre a credibilidade das empresas, assim como entender o desenvolver cíclico da economia para assegurar um futuro mais próspero.

Não perca a nossa página no Facebook!